Geral

MS receberá acelerador linear para ampliar serviço de radioterapia do SUS

Mato Grosso do Sul receberá um dos 80 aceleradores lineares que o Ministério da Saúde irá adquirir para ampliar em 25% a oferta de radioterapia do SUS (Sistema Único de Saúde). Os aceleradores lineares que serão distribuídos para atender a população de 63 municípios, localizados em 22 estados e no Distrito Federal. A aquisição foi […]

Arquivo Publicado em 01/11/2013, às 17h48

None

Mato Grosso do Sul receberá um dos 80 aceleradores lineares que o Ministério da Saúde irá adquirir para ampliar em 25% a oferta de radioterapia do SUS (Sistema Único de Saúde). Os aceleradores lineares que serão distribuídos para atender a população de 63 municípios, localizados em 22 estados e no Distrito Federal. A aquisição foi divulgada nesta sexta-feira (1º) pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha. O edital de compra também prevê a instalação de uma fábrica no país, que produzirá equipamentos para o mercado nacional, em um prazo de cinco anos.


Os aceleradores lineares são equipamentos de alta tecnologia usados para o tratamento de pessoas com câncer. Além de ampliar a assistência, o edital do Ministério da Saúde alcançou a economia de R$ 176 milhões na compra dos equipamentos. O valor final ficou em R$ 119,9 milhões. A vencedora do pregão foi a empresa norte-americana Varian Medical Systems, que atua em radioterapia há 65 anos, sendo fabricante mundial de dispositivos médicos, e de software de tratamento de câncer.


A definição dos locais que receberão os 80 aceleradores foi feita em conjunto com as secretarias estaduais e municipais de saúde, baseado em critérios, como: necessidade global de radioterapia nos estados, número estimado de casos novos anuais de câncer, oferta de serviços existentes e percentuais estaduais de cobertura do sistema de saúde suplementar. Alem de Mato Grosso do Sul, também receberão os equipamentos os estados do Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Sergipe, Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Tocantins, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro, além do Distrito Federal.


Após a assinatura do contrato, a Varian terá 90 dias para apresentar o primeiro lote que contempla 17 projetos. Ao todo, serão realizadas obras de criação de 41 serviços de radioterapia em cidades que não disponibilizam esses equipamentos aos pacientes do SUS e a ampliação de outros 39 serviços existentes.

Jornal Midiamax