O Sebrae e Vale distribuíram a 21 microempresários de Corumbá o certificado de conclusão da 1ª fase de capacitações do Programa Vale Sebrae para Desenvolvimento de Fornecedores. A cerimônia ocorreu na última quarta-feira (11).

De acordo com o Diário Corumbaense, foram realizados ao todo 108 horas de cursos nas áreas de Liderança, Capacitação Comercial, Qualidade no Atendimento, Gestão Financeira (Básica e Avançada), e Técnicas de Investimentos; além de 32 em consultorias para cada empresa.

O principal objetivo da iniciativa é preparar os pequenos negócios para atender a grandes empresas instaladas na região. “Não são apenas exigências feitas pela Vale, mas sim o que é cobrado pela própria legislação e também na seleção feita pelo mercado comprador”, lembrou Wellington Vidaurre, gerente do Sebrae no Pantanal.

Presente na solenidade, o gerente -geral da Vale em Corumbá, Fernando Bezerra, reforçou o compromisso da mineradora em desenvolver a economia das regiões onde atua e formar parcerias. “Pretendemos intensificar a aquisição de bens e serviços das empresas daqui”, garantiu. Segundo ele, neste último trimestre do ano, a Vale comprou o equivalente a R$ 52 milhões de fornecedores locais, valor mais que o dobro do que o registrado no mesmo período de 2012, de R$ 24 milhões.

Já o secretário Municipal de Indústria e Comércio, Pedro Paulo de Barros, alertou para a necessidade de os pequenos negócios se prepararem para atender à demanda de grandes empresas e órgãos públicos da região, aproveitando novas oportunidades de negócios. “O 6º distrito da Marinha, em Ladário, investiu neste ano R$ 100 milhões em produtos e serviços, mas apenas 1% deste montante foi de fornecedores do município”, alertou.

Resultados em evidência

Há dez anos no mercado, Vanessa Lontra, diz que depois de participar do programa Agentes Locais de Inovação (ALI ) do Sebrae, e ingressar no projeto da entidade de apoio às micro e pequenas empresas com a Vale, a realidade mudou. Ela é proprietária da WML, empresa que começou apenas com a instalação e manutenção de ares-condicionados, mas a partir de julho deste ano começou também a vender aparelhos.

“Caiu como uma luva, pois organizamos a empresa, melhoramos o jeito de atender e conseguimos iniciar a nova atividade já no padrão exigido”, conta Vanessa, que aponta crescimento de 20% no faturamento da empresa após as capacitações.

Para Fernando de Souza, que tem estado por nove anos à frente do comando da Engemec, o crescimento de 12% no lucro líquido do negócio deu-se por dois motivos. “O primeiro foi a mudança de postura quanto à gestão dos trabalhos realizados com todos os nossos clientes. E o outro trata-se da melhoria do levantamento de custos para incorporar à proposta de contrato”, conclui.

De acordo com gestores do Projeto Vale Sebrae para Desenvolvimento de Fornecedores, a meta, além de acompanhar e promover a evolução dos que já participam da iniciativa, é ampliar o atendimento a novas empresas e preparar ao menos 45 fornecedores no total. As informações são da Unidade de Marketing e Comunicação do Sebrae/MS.