A escritora policial Patrícia Cornwell promete publicar novas evidências sobre a identidade de Jack, o Estripador, conforme publicou o Daily Mail neste sábado. Ela diz que vai ajudar a resolver o mistério que a polícia britânica não conseguiu decifrar em 125 anos. Segundo Cornwell, todos indícios confirmam Walter Sickert, um artista influente, como o principal suspeito. Além disso, ela diz que possui muitos detalhes e prevê que as pessoas irão se surpreender pela evidência que ela desenterrou, ligando Sickert à família real, sugerindo uma teoria conspiratória.

Fãs do pintor já criticaram o primeiro livro de Cornwell, no qual ela aponta para Walter Sickert como um suspeito em potencial. Porém, nos últimos 11 anos, ela desenvolveu essa teoria e chegou à novas conclusões. “Eu acredito que (Jack, o Estripador) seja Sicker  Agora acredito mais do que nunca”, falou a escritora.

A autora, que trabalha com o ex-comandante da Scotland Yard John Grieve, disse ter olhado com atenção uma seleção de cartas, do arquivo nacional, que teriam sido enviadas à polícia pelo assassino. Apesar de admitir que a evidência é apenas circunstancial, Cornwell argumenta que é difícil aceitar que seja apenas uma coincidência a semelhança entre as marcas d’água das cartas com  algumas das cartas de papel usadas por Sickert.

A escritora gastou milhões de libras que investigam o assassino não identificado – que matou pelo menos cinco prostitutas em Whitechapel no final de 1880. A dedicação foi tanta, que ela até comprou a mesa de Sickert, para obter testes de DNA.

Segundo o jornal The Evening Standard, ela planeja publicar suas novas descobertas no próximo ano.”Eu tenho muito mais detalhes, incluindo mais informações sobre o que chamo de ‘conspiração real”.