Geral

Hacker implanta chip de computador do tamanho de um smartphone sob o antebraço

O biohacker Tim Cannon, o chamado “Cyborg DIY” implantou um chip de computador do tamanho de um smartphone sob a pele do seu antebraço que grava e transmite os dados biométricos em tempo real via Bluetooth ao seu dispositivo Android. Chamado de Circadia 1.0 , o implante, diferente dos computadores portáteis e dispositivos biométricos de […]

Arquivo Publicado em 05/11/2013, às 15h36

None
1132630573.jpg

O biohacker Tim Cannon, o chamado “Cyborg DIY” implantou um chip de computador do tamanho de um smartphone sob a pele do seu antebraço que grava e transmite os dados biométricos em tempo real via Bluetooth ao seu dispositivo Android.


Chamado de Circadia 1.0 , o implante, diferente dos computadores portáteis e dispositivos biométricos de gravação como o Fitbit , o dispositivo subcutâneo é open-source e permite o total controle sobre como os dados são coletados e usados pelo usuário.


Em sua primeira versão, o chip, construído por Tim e colegas de sua empresa, Grindhouse Wetware, pode registrar a temperatura do corpo e transferi-la em tempo real, via Bluetooth. Três LEDs embutidos no pacote servem como luzes de status, e pode ser controlado para iluminar a tatuagem no antebraço de Cannon.


A empresa de Tim já completou o desenvolvimento de um dispositivo de monitoramento de pulso, e também foi capaz de reduzir o tamanho do sistema Circadia , o que tornará o processo um pouco mais user-friendly.


“Eu acho que o nosso ambiente deve ouvir com mais precisão e de forma mais intuitiva o que está acontecendo em nosso corpo”, disse Cannon.” Portanto, se, por exemplo, eu tive um dia estressante, o Circadia irá comunicar para a minha casa, que vai preparar um ambiente agradável e relaxante para quando eu chegar em casa: diminua as luzes, deixe em um banho quente.”


Cannon espera que a primeira produção em série do chip possa estar pronta em poucos meses e disse que vai custar cerca de US$ 500. Porém, como o procedimento para a colocação do chip não tem aprovação médica, os hackers interessados terão de procurar um “especialista em modificação do corpo”. Steve Haworth, o especialista que realizou a cirurgia de Cannon, disse que vai cobrar cerca de US$ 200 para o procedimento.


Com base nos custos de desenvolvimento muito mais barato de uma codificação em rede aberta, Tim quer realizar seu objetivo de oferecer órgãos baratos para todos em um futuro próximo.


“Ele fez assegurar-me de que “há coisas incríveis que podemos fazer com o gelo. ” Parecia convincente na época.

O implante


A colocação do chip foi realizada sem autorização médica, uma vez que o chip não é aprovado pelas autoridades médicas. Tim, então, recorreu a um dos pioneiros em modificações do corpo, Steve Haworth. Haworth usou suas próprias “ferramentas” para a cirurgia, e como ele não é um cirurgião credenciado, não foi capaz de usar anestésicos.

Jornal Midiamax