Geral

Falta de recursos impede reconstrução de áreas devastadas por tsunami no Japão

Cerca de um terço dos fundos destinados à reconstrução das zonas afetadas pelo tsunami que atingiu o Nordeste do Japão, em 2011, ainda não foi investido devido à falta de planejamento e de trabalhadores, segundo a Junta Nacional de Auditoria do país. Os fundos previstos para cerca de 130 projetos não foram investidos nos últimos […]

Arquivo Publicado em 01/11/2013, às 12h57

None

Cerca de um terço dos fundos destinados à reconstrução das zonas afetadas pelo tsunami que atingiu o Nordeste do Japão, em 2011, ainda não foi investido devido à falta de planejamento e de trabalhadores, segundo a Junta Nacional de Auditoria do país. Os fundos previstos para cerca de 130 projetos não foram investidos nos últimos dois anos desde a tragédia. Em mais de 20 desses projetos, os atrasos foram atribuídos à falta de engenheiros e operários na região.

O órgão calculou que 6,48 bilhões de ienes – cerca de 48,6 milhões de euros -, dos 20 bilhões de ienes – 147,5 milhões de euros – destinados à reconstrução da região ainda não foram investidos, segundo a organização de radiodifusão pública do Japão, NHK. Esse montante, por não ter sido investido, terá de ser transferido ao orçamento de 2014 para os trabalhos de reconstrução ou serão declarados como não necessários. A Junta Nacional de Auditoria do Japão pediu que vários ministérios dêem mais apoio aos governos locais com atrasos nos projetos de reconstrução.

O tsunami que atingiu o país, em 2011, destruiu cerca de 400 mil casas no Nordeste do Japão, onde milhares de pessoas ainda estão desalojadas. Também é necessário retirar mais de 27 milhões de toneladas de escombros. A estimativa é que mais de 18 mil pessoas morreram ou foram declaradas desaparecidas devido à tragédia. O acidente, além das perdas humanas e da destruição, provocou o pior acidente nuclear desde Chernobil, em 1986.

Jornal Midiamax