Geral

Exportação de carne bovina sobe 23,7% em MS

As exportações de carne bovina in natura de Mato Grosso do Sul cresceram 23,7% nos cinco primeiros meses de 2013. As vendas ficaram em 53,8 mil toneladas, contra 43,5 mil toneladas anotadas entre janeiro e maio de 2012. A receita das vendas do acumulado do ano atingiu US$ 207 milhões. Os dados são da Secretaria […]

Arquivo Publicado em 24/06/2013, às 14h13

None

As exportações de carne bovina in natura de Mato Grosso do Sul cresceram 23,7% nos cinco primeiros meses de 2013. As vendas ficaram em 53,8 mil toneladas, contra 43,5 mil toneladas anotadas entre janeiro e maio de 2012. A receita das vendas do acumulado do ano atingiu US$ 207 milhões. Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) e estão publicadas no Informativo Casa Rural, elaborado pela Unidade Técnica da Federação da agricultura e Pecuária do MS (Sistema Famasul).


Já em maio deste ano, as vendas internacionais do produto somaram 11,6 mil toneladas, aumento de 7,4% frente maio de 2012, quando MS vendeu a outros países 10,8 mil toneladas. O faturamento obtido com as exportações do mês totalizou US$ 50,3 milhões. Para Adriana, o avanço das exportações é fruto do câmbio favorável no período. “A desvalorização do real, somada ao reflexo da recuperação da economia dos países europeus, elevou as vendas em maio”, argumenta.


Entre os principais destinos da carne bovina sul-mato-grossense, o destaque de maio é o Egito, que em relação ao ano anterior duplicou as negociações com MS, comprando quase 2 mil toneladas em maio. A Rússia continua sendo o principal cliente do Estado, com compras de 3,47 mil toneladas no mês citado.


O abate de bovinos em Mato Grosso do Sul totalizaram 317 mil animais (machos e fêmeas) em maio deste ano, volume 5,27% menor que o total registrado no mesmo período do ano passado, quando foram abatidos 335 mil cabeças. As informações são da Superintendência Federal de Agricultura do MS (SFA/MS).


Maio foi o primeiro mês de 2013 em que o volume abatido registrou redução, comprovando o cenário que já era desenhado nos meses anteriores, mostrando que haveria vácuo na oferta de boi gordo. Para a assessora técnica do Sistema Famasul, Adriana Mascarenhas, a queda foi ocasionada pelo período da entressafra, onde a qualidade e quantidade do pasto tradicionalmente diminuem. “Mesmo com as chuvas e com maior disponibilidade de pasto a oferta de animal pronto para abate continua restrita. Além disso, há projeção de queda no volume de animais confinados no primeiro ciclo (julho) em relação a 2012”, complementa a assessora.


Apesar desta diminuição, no acumulado de 2013 os abates superam os números do ano passado. Entre janeiro e maio deste ano, foram abatidos 1,72 milhão de animais, contra 1,54 milhão registrado em 2012, uma alta de 11%.


No mercado físico, os preços do boi gordo subiram 1,64% na primeira quinzena de junho de 2013 em comparação ao mesmo período do ano passado, saindo de R$ 86,18 a arroba para R$ 91,76 a arroba.


A tendência para o início do próximo semestre é de elevação para os preços do boi e da vaca gorda, caso o atual cenário se mantenha. “Se as exportações continuarem subindo, se a demanda interna também permanecer aquecida e a oferta de animal pronto para abate seguir equilibrada, deixando o atacado sem excedente de mercadoria, os preços podem subir nos próximos meses”, adverte Adriana.


O Informativo Casa Rural Bovinocultura de Corte é elaborado pela Unidade Técnica do Sistema Famasul. O objetivo da publicação é fornecer ao produtor rural informações precisas e atualizadas sobre o andamento do setor em Mato Grosso do Sul. O estudo está disponível para consulta e download através do endereço eletrônico: http://migre.me/f7L8r.

Jornal Midiamax