Geral

Dourados registra 47 homicídios dolosos em 2013; casos diminuem

A cidade de Dourados registrou este ano 47 casos de homicídios dolosos. Foram 65 em 2011, 54 em 2012 e 47 em 2013, conforme dados da Polícia Civil do Estado. A taxa de redução não segue os índices nacionais que apontou o Brasil com um aumento de 7,6% de homicídio em relação ao ano passado, […]

Arquivo Publicado em 05/11/2013, às 11h02

None
1512674393.jpg

A cidade de Dourados registrou este ano 47 casos de homicídios dolosos. Foram 65 em 2011, 54 em 2012 e 47 em 2013, conforme dados da Polícia Civil do Estado.


A taxa de redução não segue os índices nacionais que apontou o Brasil com um aumento de 7,6% de homicídio em relação ao ano passado, conforme dados divulgados ontem pelo 7º Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Por outro lado, Mato Grosso do Sul está entre os estados com o menor percentual de homicídios do país. O estado apresenta a taxa de 14,9 mortes para cada 100 mil habitantes, enquanto que o estado com maior índice de homicídios, Alagoas, possui 58,2 casos.


De acordo com o delegado Regional da Polícia Civil de Dourados, Carlos Videira, a cidade de Dourados também é uma das melhores do País em índices de esclarecimento do crime tendo uma taxa de resolução de cerca de 90%.


A taxa é relativamente alta levando-se em conta que o município fica localizado a 100 quilômetros da Fronteira. Carlos Videira acrescenta que em 80% dos casos de homicídio, tanto vítimas como autores têm registros de antecedentes criminais quando maiores e infrações penais quando menores. Conforme ele, na maior parte dos casos envolvendo jovens, há desestrutura familiar, e nenhuma aptidão para o estudo.


Já o Mapa da Violência: Juventude no Brasil 2013 apontou Dourados como a primeira em número de homicídios no Estado de Mato Grosso do Sul e a 94ª no ranking nacional. Conforme a publicação, a população jovem de Dourados é de 37.044. Em 2009, a cidade registrou 34 homicídios nesta faixa etária. Em 2010, o número saltou para 37 e em 2011 regrediu para 35.


A lista levou em conta cidades com mais de 10 mil jovens de 15 a 24 anos. Em nível nacional, o Brasil registrou 25,8 mortes por cem mil habitantes. Dentre as cinco regiões, o Norte e o Nordeste lideram o ranking.


O destaque é para Alagoas, com 61,8 casos por cem mil habitantes. Por outro lado, o estado que mais reduziu a taxa de mortes foi o Espírito Santo, que passou de 41,1 para 27,5 assassinatos a cada cem mil habitantes.


O relatório revela também registros de crime contra o patrimônio e os números são alarmantes. Só em 2012 foram mais de 556 mil casos de roubos a residências, veículos em geral, bancos e comércio.


PRESOS


A mesma pesquisa apontou que a população carcerária cresceu 9,39%. Em 2011, havia 471,25 mil presos no país, número que saltou para 515,5 mil em 2012. Já as vagas nos presídios cresceram menos – eram 295,43 mil em 2011 e passaram a 303,7 mil no ano passado, aumento de 2,82%.


Em média, o Brasil tem 1,7 detento por vaga. Boa parte desses presos (38%) são provisórios, com casos ainda não julgados. Em sete estados, mais de 50% da população carcerária ainda aguardam julgamento: Mato Grosso (53,6%), Maranhão (55,1%), Minas Gerais (58,1%), Sergipe (62,5%), Pernambuco (62,6%), Amazonas (62,7%) e Piauí (65,7%).


O gasto total com segurança pública totalizou R$ 61,1 bilhões no ano passado, um incremento de 15,83% em relação ao ano anterior. Investimentos em inteligência e informação alcançaram R$ 880 milhões, ante R$ 17,5 bilhões em policiamento e R$ 2,6 bilhões em defesa civil.


São Paulo foi o estado que destinou mais recursos ao setor: R$ 14,37 bilhões, dos quais R$ 5,73 bilhões foram usados apenas com o pagamento de aposentadorias.


Já o número de estupros subiu 18% no Brasil. Em todo o país, foram registrados 50,6 mil casos, o correspondente a 26,1 estupros por grupo de 100 mil habitantes. Em 2011, a taxa era de 22,1.

Jornal Midiamax