Geral

Douglas Figueiredo ganha apoio do PT e sai na frente na disputa pela Assomasul

O prefeito de Anastácio, Douglas Figueiredo (PSDB), começou bem a disputa pelo comando da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul). O prefeito já tinha o apoio do PSDB, que tem 11 prefeitos em Mato Grosso do Sul. Agora, com o apoio do PT, Douglas chega a 24 votos, faltando apenas 16 para […]

Arquivo Publicado em 21/01/2013, às 15h46

None

O prefeito de Anastácio, Douglas Figueiredo (PSDB), começou bem a disputa pelo comando da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul). O prefeito já tinha o apoio do PSDB, que tem 11 prefeitos em Mato Grosso do Sul. Agora, com o apoio do PT, Douglas chega a 24 votos, faltando apenas 16 para chegar à presidência, 40 votos, o que seria metade e mais um dos 79 prefeitos do Estado.

O presidente do PT, Marcus Garcia, explicou que o partido entendeu que Douglas será um presidente que garantirá uma independência maior aos municípios, já que não representará apenas um grupo político.

O presidente estadual do PDT, Dagoberto Nogueira, tomou atitude diferente do PT. Ele afirmou que os sete prefeitos do partido foram liberados para votarem no melhor para a região deles. A decisão de Dagoberto é próxima a do DEM, liderado pelo deputado federal Luiz Henrique Mandetta. Ele explicou que os prefeitos ficaram liberados para votar em quem interessar. Mandetta ressaltou ainda que tem uma ótima relação com os dois candidatos.

Douglas concorre com o prefeito de Costa Rica, Waldeli Rosa (PR). O partido de Waldeli tem sete prefeitos em Campo Grande. O PMDB, partido com maior número de prefeituras, 21, ainda não manifestou preferência por nenhum candidato. O governador André Puccinelli (PMDB) garantiu que não vai interferir na votação. Já o senador Waldemir Moka (PMDB) admitiu que tem preferência por Waldeli, visto que ele coordenou a campanha dele para o Senado.

Com votos assegurados no PT e no PSDB, Douglas evita falar em favoritismo e afirma que a eleição para a Assomasul é apartidária. Douglas prevê uma disputa acirrada, mas garante que o derrotado se unirá ao vencedor para defender os interesses da associação.

O candidato entende que a eleição é importante para fortalecer o debate sobre o papel da instituição. Douglas acredita que é preciso investir na capacitação dos municípios, visto que a maioria, 40 municípios, são pobres e sem técnicos para lutar por recursos. Na avaliação do prefeito, a maioria dos municípios perdem recursos porque não sabem como solicitar.

A eleição para a nova diretoria da Assomasul acontece nesta terça-feira (22). Os dois candidatos têm até as 17 horas desta segunda-feira (21) para registrar candidatura. A posse está marcada para o dia 31 de janeiro. Além do posto de presidente as chapas terão que preencher os cargos de vice-presidente, 2º vice-presidente, secretário-geral, 1º secretário-geral, 2º secretário-geral, tesoureiro geral, 1° tesoureiro, diretor de relações públicas, diretor de assuntos municipalistas, diretor de saúde, diretor de Patrimônio, diretor esportivo, diretor de Cultura e membros do Conselho Fiscal.

Jornal Midiamax