Geral

Dengue poderia ser controlada se lei aprovada na Câmara fosse respeitada

Os vereadores da Câmara de Campo Grande fizeram na manhã desta quarta-feira (23) uma ação de conscientização da população sobre os perigos da dengue. Os vereadores invadiram terrenos baldios para recolher focos do mosquito e visitaram residências falando sobre o problema que já atingiu quase 10 mil pessoas em Campo Grande. A ação contribui com […]

Arquivo Publicado em 23/01/2013, às 14h55

None
910071147.jpg

Os vereadores da Câmara de Campo Grande fizeram na manhã desta quarta-feira (23) uma ação de conscientização da população sobre os perigos da dengue. Os vereadores invadiram terrenos baldios para recolher focos do mosquito e visitaram residências falando sobre o problema que já atingiu quase 10 mil pessoas em Campo Grande.

A ação contribui com a Prefeitura, mas a relação entre o Executivo e o Legislativo poderia ser mais efetiva se as leis aprovadas na Câmara fossem respeitadas. Uma lei aprovada em 2010, pelo atual presidente da Câmara, Mário César (PMDB), contribuiria se fosse executada. A lei cria o “Agente Voluntário da Saúde” e estabelece que um morador cuide de cinco quadras do bairro. Se aquela região não tivesse foco de dengue, os moradores ganhariam desconto de 10% no valor do Imposto Predial, Territorial e Urbano (IPTU). “A lei foi aprovada e não foi colocada em prática”, confidenciou o vereador.

Durante visita ao bairro Noroeste os vereadores receberam reclamações da população e dos agentes de saúde , mas também tiveram que fazer o papel de educar alguns que ainda são desinformados com relação a responsabilidade com os terrenos. Uma moradora que perdeu um filho que esperava por causa da dengue perguntou para o vereador Mário César porque a prefeitura não mandava alguém para limpar o terreno dela. Ela foi informada que a responsabilidade não é da prefeitura e que cabe a cada morador fazer a sua parte.

Outro morador, Luiz Ferreira Calado, 72 anos, deu exemplo para os vereadores. Com uma carriola, ele juntava lixo deixado em terrenos abandonados. O aposentado contou que ficou sabendo sobre a epidemia pela televisão e estava fazendo a parte dele. “A minha saúde agradece”, declarou Mário César, recebendo uma rápida resposta: “E a minha também”. O morador ficou contente com a visita dos vereadores, lembrando que não viu político no bairro nem em época de campanha.

Os vereadores também ouviram reclamações de agentes de saúde. Eles disseram que não têm boas condições de trabalho e reclamaram que não recebem nem saco de lixo para recolher materiais que servem de criadouro para o mosquito transmissor da dengue. Já a moradora Larissa Silva, 19 anos, reclamou da falta de cuidado dos vizinhos, que não fazem a parte deles. Ela também pediu para os vereadores solicitarem caminhões à prefeitura, para que eles possam limpar o terreno e a prefeitura retirar o lixo acumulado.

“As pessoas não fazem a parte dela. Na semana passada eu fui no posto e fiquei sabendo que 150 pessoas já pegaram dengue só aqui no bairro. Mas, precisamos da ajuda da prefeitura para recolher o lixo. Temos que carpir o quintal, mas precisamos de alguém para recolher o lixo”, explicou.

Jornal Midiamax