Geral

Corpo de recém-nascido é encontrado em usina de reciclagem em Caarapó

Funcionários de uma usina de reciclagem encontram na hora de separar o lixo o corpo de um recém-nascido, por volta de 14h45, na tarde desta terça-feira (26), em Caarapó. A criança era do sexo masculino e estava enrolada em uma toalha, e cordão umbilical. O corpo foi encontrado pela funcionária Claudete Soares Pereira, 35 anos. […]

Arquivo Publicado em 27/03/2013, às 09h57

None
614748402.jpg

Funcionários de uma usina de reciclagem encontram na hora de separar o lixo o corpo de um recém-nascido, por volta de 14h45, na tarde desta terça-feira (26), em Caarapó. A criança era do sexo masculino e estava enrolada em uma toalha, e cordão umbilical.

O corpo foi encontrado pela funcionária Claudete Soares Pereira, 35 anos. “Na hora de separar o lixo na esteira fui desenrolar a toalha, pois parecia se tratar de um animal morto, foi quando me deparei com o corpo do bebê. De imediato cobri novamente e chamei a polícia”, disse a funcionária.

O corpo havia sido recolhido no início da tarde, nos bairros Adonai e Vila Nova.

Conforme o delegado de Polícia Civil, Benjamin Lax, diante das informações colhidas no local, a polícia vai abrir inquérito para tentar identificar a mãe da criança e as circunstâncias do crime.

A perícia técnica vai identificar se o bebê nasceu morto ou não. Caso tenha nascido morto, os envolvidos podem ser indiciados por aborto. A polícia não descarta que o menino tenha sido morto após o nascimento.

“Se a criança nasce com vida e ela vem a morrer por ação de outra pessoa, nós temos um homicídio. Se a criança morreu no ventre da mãe e nasceu morta, teremos o crime de aborto. Agora é possível que, por causas naturais, a criança tenha nascido morta e poderíamos ter um crime de ocultação de cadáver”, explicou o delegado.

Matéria editada com acréscimo de informações às 7h45.

Jornal Midiamax