Geral

Combate à dengue recebe reforço da fiscalização da Semadur em terrenos baldios

O combate à dengue recebe o reforço de um Plano de Ação destinado à fiscalização de terrenos baldios particulares com os serviços das equipes da Semadur (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente) que irão à campo para notificação e, se necessário, multar os proprietários que não efetuarem a limpeza dos seus terrenos. A […]

Arquivo Publicado em 23/01/2013, às 20h50

None

O combate à dengue recebe o reforço de um Plano de Ação destinado à fiscalização de terrenos baldios particulares com os serviços das equipes da Semadur (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente) que irão à campo para notificação e, se necessário, multar os proprietários que não efetuarem a limpeza dos seus terrenos. A medida faz parte das atividades de enfrentamento da dengue em Campo Grande que sofre epidemia da doença, com 10.584 casos notificados até a última segunda-feira (21.01).



As ações seguem as orientações da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) que indicou 42 bairros e localidades adjacentes das sete regiões urbanas da cidade (Anhanduizinho, Imbirussu, Prosa, Segredo, Centro, Lagoa e Bandeira) para vistoria, locais onde há maior infestação do mosquito Aedes aegipty. De acordo com a chefe da Divisão de Fiscalização de Áreas Verdes e Posturas Ambientais da Semadur, Maria Luiza Rolim os fiscais irão de bairro em bairro detectando os terrenos sujos e que possam ser criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue.



As notificações serão emitidas pelos fiscais e encaminhadas via Correio com AR (Aviso de Recebimento) aos proprietários que terão 10 dias para limpar o terreno. “A limpeza deverá ser completa. O proprietário deverá capinar o terreno e retirar o lixo do local. Alguns proprietários têm retirado o entulho, lixo e deixado na rua. O destino final é de responsabilidade do dono do terreno”, explicou Maria Luiza.



Em aproximadamente 20 dias, os fiscais retornarão ao local onde efetuaram a notificação e se o proprietário tiver executado a limpeza do terreno, o processo administrativo de emissão de multa será suspenso. Caso contrário, será aplicada multa com base na Lei 2.909 (Código de Polícia Administrativa de Campo Grande). Os proprietários que não tiverem o endereço atualizado no cadastro da Prefeitura (que não confirmar o aviso de AR) serão avisados da notificação em publicação no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande).



Os bairros que concentram maior índice de infestação do mosquito Aedes aegipty estão com índice que variam de 4,8% a 1,3%. Bairros Vistoriados pela equipe de fiscais da Semadur.



Região do Bandeira – bairros Itamaracá, Tiradentes, São Lourenço Universitário, Rita Vieira, Moreninhas



Região do Lagoa – bairros Tijuca, São Conrado, Bandeirantes, Leblon, Batistão, Coophavilla II e Tarumã.



Região do Imbirussu – bairros Santo Amaro, Vila Sobrinho e Santo Antonio, Nova Campo Grande, Indubrasil e Vila Popular



Região do Prosa – bairros Noroeste, Veraneio, Mata do Jacinto, Margarida, Carandá Bosque, Estrela Dalva, Chácara dos Poderes e Novos Estados



Região do Centro – bairros Cruzeiro, Bela Vista, São Bento e Jardim dos Estados



Região do Anhanduizinho – bairros Parati, Pioneiros, Guanandi, Taquarussu e Jacy.



Região do Segredo – bairros Nova Lima.


Jornal Midiamax