Geral

Com dengue em alta em Nova Andradina, paracetamol e repelentes não param nas prateleiras

Com o aumento de casos confirmados de dengue, o número de repelentes vendidos por dia aumentou de maneira significativa nas farmácias de Nova Andradina. De acordo com o proprietário de uma farmácia localizada no centro do município, Edson dos Santos Pereira, toda a mercadoria que chega diariamente, sai em poucas horas.  “Todo dia abastecemos a […]

Arquivo Publicado em 25/01/2013, às 09h28

None

Com o aumento de casos confirmados de dengue, o número de repelentes vendidos por dia aumentou de maneira significativa nas farmácias de Nova Andradina. De acordo com o proprietário de uma farmácia localizada no centro do município, Edson dos Santos Pereira, toda a mercadoria que chega diariamente, sai em poucas horas.


 “Todo dia abastecemos a prateleira e já vendemos tudo em um instante”, disse ele. Conforme a farmacêutica da empresa, Maisa Figueiredo , há três tipos de repelente: spray, creme e aerosol. A média de preço dos produtos varia entre R$7,90 à R$ 18,50.


Ao usar o repelente, é necessário evitar ao máximo usar o produto nas mãos, pois os repelentes tem suas toxinas que podem ser prejudiciais à saúde. Maisa ressaltou a importância de lembrar aos pais que crianças devem usar repelentes especiais e não de adultos.


“Existem os repelentes específicos para as crianças, a citronela é muito usada na fabricação do produto, então a fórmula infantil possui uma fragrância mais suave, sendo que a indicada para adultos tem o cheiro mais forte”, explicou.


Além do cheiro, a fórmula infantil contém um cuidado maior para evitar irritação e danos na pele das crianças, que são mais sensíveis. Outros produtos que estão com a venda acima do normal, são os remédios à base de paracetamol e dipirona.


Estes medicamentos são os únicos indicados para quem está com suspeita ou com o caso confirmado de dengue. A orientação é procurar um médico assim que os primeiros sintomas surgirem, pois o responsável pode solicitar exame de sangue para comprovar o diagnóstico.


O diagnóstico também possibilita o mapeamento dos casos e pauta as ações do poder público. “As pessoas têm de evitar ao máximo a ‘automedicação’. Há vários remédios que não devem ser ingeridos de forma alguma. Eles podem coagular o sangue das plaquetas, podendo provocar hemorragia”, alertou a farmacêutica.


Esses remédios que não devem ser ingeridos sem indicação em caso de suspeita de dengue, são aqueles compostos por Ácido Acetil Salicílico, mais conhecidos como AAS, como Aspirina, Melhoral, Doril e Engov.


Para finalizar, a recomendação é iniciar hidratação com água, sucos e isotônicos. “Quanto mais líquido, melhor a recuperação”, afirmou Maisa.

Jornal Midiamax