Geral

Brasileiros do Bayern aquecem festa fria: ‘para eles não importa muito’

O Bayern de Munique derrotou o Raja Casablanca por 2 a 0 neste sábado e se sagrou campeão do mundo pela terceira vez. A festa do título, porém, não teve grande animação – exceto para os brasileiros Dante e Rafinha, que vibraram bastante junto à torcida alemã em Marrakech. Depois do jogo, o lateral direito […]

Arquivo Publicado em 22/12/2013, às 00h33

None

O Bayern de Munique derrotou o Raja Casablanca por 2 a 0 neste sábado e se sagrou campeão do mundo pela terceira vez. A festa do título, porém, não teve grande animação – exceto para os brasileiros Dante e Rafinha, que vibraram bastante junto à torcida alemã em Marrakech. Depois do jogo, o lateral direito admitiu que, para os jogadores alemães, o torneio não tem tanta relevância.

Dante, que levou a taça para junto da torcida e vibrou bastante, inclusive saiu de campo com a taça e continuou com ele na hora de deixar o Grand Stad de Marrakech. Rafinha, por sua vez, pegou um turbante emprestado com a torcida, sambou e também comemorou com gosto.

“Os alemães não comemoram muito porque para eles não tem muita importância. Mas, para nós, somos brasileiros e sabemos da importância de ser campeão do mundo”, destacou Rafinha, titular na semifinal contra o Guangzhou Evergrande e na decisão contra o Raja. “E pô, não é todo dia que você tem essa chance. Hoje fomos campeões e comemoraremos muito hoje ainda”, acrescentou.

A declaração de Rafinha coincide com o pensamento de Joseph Blatter, presidente da Fifa, que disse estar decepcionado com o pouco interesse do Mundial de Clubes para o público europeu. Técnico do Bayern, o espanhol Josep Guardiola havia discordado desse pensamento. Quando lembrado que a ideia de que “os europeus não se importam muito com o Mundial” havia sido refutada por Guardiola, Rafinha refez seu discurso.


“Não é que não dão importância, mas para eles não tem o mesmo calibre que para nós sul-americanos. Eles jogaram com todo o coração e toda a vontade do mundo, mas a dimensão do título não é a mesma que para nós sul-americanos”, explicou.

Jornal Midiamax