Geral

Assembleia defende anistia de 5% da dívida dos Estados para aplicar em saúde e educação

Diante da onda de protesto por melhorias, principalmente, na saúde e na educação, o deputado Jerson Domingos (PMDB), anunciou, nesta quarta-feira (26), que a Assembleia Legislativa encabeçará proposta para a presidente Dilma Rousseff (PT) anistiar parte da dívida dos Estados com a União para reverter a receita em investimentos nos dois setores. “Hoje, 15% da […]

Arquivo Publicado em 26/06/2013, às 18h39

None
119472336.jpg

Diante da onda de protesto por melhorias, principalmente, na saúde e na educação, o deputado Jerson Domingos (PMDB), anunciou, nesta quarta-feira (26), que a Assembleia Legislativa encabeçará proposta para a presidente Dilma Rousseff (PT) anistiar parte da dívida dos Estados com a União para reverter a receita em investimentos nos dois setores.


“Hoje, 15% da receita de Mato Grosso do Sul fica retida com a União. Se a presidente Dilma anistiar o Estado em 5% e se esses 5% fossem transformados em investimentos nas áreas reclamadas pela população, isso significaria mais ou menos em torno de R$ 30 milhões por mês para quase todos os Estados da União”, detalhou.


Para Jerson, ao contrário do plano de ação apresentado pela presidente, essa proposta iria ao encontro da população, que cobra medidas imediatas. “Isso seria uma solução imediata, que é o que a população espera”, comentou o presidente. Por ano, somente Mato Grosso do Sul gasta mais de R$ 600 milhões para amortizar a dívida com a União.


Segundo ele, “a sugestão parte da Casa como um todo”. “E acho que os demais estados também enxergariam isso com bons olhos”, destacou. Jerson ainda relatou que a ideia partiu da vice-governadora Simone Tebet (PMDB).


Para chegar ao Governo Federal, de acordo com o deputado, o plano é “chamar a bancada federal e outras organizações” para encampar a ideia. “Vamos chamar a CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil), chamar o arcebispo Dom Dimas, não sei como será visto pela presidente da República, mas vamos tentar”, frisou.


Jornal Midiamax