Geral

Vigia noturno se arrisca e controla incêndio com mangueira de jardim

Com uma mangueira de jardim, o trabalhador que pernoita no local, se arriscou molhando o mato seco ao redor da moradia. Nitidamente nervoso com a situação “seo João” acabou se ferindo ao pisar em um arame farpado.

Arquivo Publicado em 16/09/2012, às 11h26

None
689268755.jpg

Com uma mangueira de jardim, o trabalhador que pernoita no local, se arriscou molhando o mato seco ao redor da moradia. Nitidamente nervoso com a situação “seo João” acabou se ferindo ao pisar em um arame farpado.

O vigia noturno João Alves, 73 anos, teve muito trabalho para evitar com que um incêndio, na noite deste sábado (15), destruísse o alojamento da construção em que trabalha, na rua Luiz Alves no bairro Rita Vieira.


 Com uma mangueira de jardim, o trabalhador que pernoita no local, se arriscou molhando o mato seco ao redor da moradia, isolando assim a área onde haviam madeiras, equipamentos e um botijão de gás. Nitidamente nervoso com a situação “seo João” acabou se ferindo ao pisar em um arame farpado.


 No entanto, sua maior preocupação eram os materiais da obra. “Imagina se esse fogo queimasse tudo isso que está aí. O que sobraria?”, indagou. De acordo com os vizinhos, o fogo começou por volta das 20h na vegetação de um terreno baldio, que fica ao lado da obra. Pelo menos três focos de incêndio foram verificados pela equipe do Midiamax na mesma rua.


 É o caso do morador Walter Queiroz, 49 anos, que também sentiu a situação de perto. Ao lado de sua residência, o fogo na vegetação de um terreno tem causado transtornos. “Além do fogo em si que nos preocupa, a fuligem suja a casa e as roupas no varal”. Segundo Queiroz, o problema se estende há mais de oito anos. “Moro aqui a quase uma década, e todos os anos presenciamos essa situação”.


 Já o encarregado de estrutura de obra, Sérgio Campos, 34, que reside na mesma rua e trabalha em outra construção próxima ao local do incêndio, atribui o aborrecimento à falta de fiscalização aos proprietários dos lotes, que não fazem a manutenção adequada.


 “Se há uma Lei que exige a limpeza, a construção de calçadas e o isolamento da área, tem que haver fiscais para punir os donos”. De acordo com uma vizinha que não quis se identificar, o incêndio foi criminoso. Segundo ela, um homem esteve no local minutos antes da vegetação começar a queimar. Entretanto ela soube descrever suas características.


 Fogo em área preservada


 No mesmo bairro, próximo a rotatória da Avenida Interlagos, uma área de preservação ambiental também foi tomada pelo fogo. Em meio a vários focos, uma árvore inteira foi queimada.


Jornal Midiamax