Geral

Vice-presidente Michel Temer participa de reunião da Unasul

A reunião da 6ª Cúpula da União de Países Sul-Americanos (Unasul) foi marcada pela ausência de presidentes do Mercosul. Dos cinco presidentes do mercado comum apenas um, José “Pepe” Mujica, do Uruguai, compareceu. A presidenta Dilma Rousseff foi representada pelo vice-presidente Michel Temer. Os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e da Argentina, Cristina Kirchner, cancelaram...

Arquivo Publicado em 30/11/2012, às 19h33

None

A reunião da 6ª Cúpula da União de Países Sul-Americanos (Unasul) foi marcada pela ausência de presidentes do Mercosul. Dos cinco presidentes do mercado comum apenas um, José “Pepe” Mujica, do Uruguai, compareceu. A presidenta Dilma Rousseff foi representada pelo vice-presidente Michel Temer. Os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e da Argentina, Cristina Kirchner, cancelaram a ida por motivos de saúde.


O presidente do Paraguai, Federico Franco, não foi convidado. Desde a destituição de seu antecessor, Fernando Lugo, em 22 de junho passado, o país está suspenso do Mercosul e da Unasul. Dos 12 países da Unasul, seis estiveram representados por seus presidentes, além do anfitrião, Peru: Uruguai, Chile, Colômbia, Equador, Guiana e Suriname.


Antes da reunião, os presidentes do Peru, Ollanta Humala, e do Chile, Sebastian Piñera, deram entrevista coletiva para assegurar que irão acatar decisão da Corte Internacional da Haia sobre uma disputa de fronteira marítima entre os dois países. O Peru reclama uma área do Oceano Pacifico que o Chile considera própria e em 2008 apelou ao tribunal internacional para resolver a controvérsia. Na próxima segunda-feira (3) serão ouvidas as duas partes.


As declarações de Ollanta e Humala, sobre a necessidade de acatar a ordem judicial (seja ela qual for) foram feitas dias depois da decisão do governo colombiano de retirar-se da Corte Internacional de Haia. A Colômbia não aceita a sentença do tribunal em relação à soberania do Arquipélago de San Andres. A corte reconheceu a soberania colombiana sobre todo o arquipélago, que fica a 720 quilômetros de sua costa e a 110 quilômetros da costa nicaraguense. Mas concedeu à Nicarágua os direitos de exploração dos recursos marítimos, que, até agora, eram apenas colombianos.

Jornal Midiamax