Geral

Verdão cede virada ao Inter no Beira-Rio e se complica para não cair

Sem vencer há 15 anos no Beira-Rio, o Palmeiras até abriu o placar neste sábado, no Beira-Rio. Mas cedeu a virada, perdeu por 2 a 1 e agora, nas contas de sua comissão técnica, precisa vencer quatro dos cinco jogos que faltam no Campeonato Brasileiro para evitar o rebaixamento. Em antepenúltimo lugar, o Verdão está, […]

Arquivo Publicado em 28/10/2012, às 12h07

None

Sem vencer há 15 anos no Beira-Rio, o Palmeiras até abriu o placar neste sábado, no Beira-Rio. Mas cedeu a virada, perdeu por 2 a 1 e agora, nas contas de sua comissão técnica, precisa vencer quatro dos cinco jogos que faltam no Campeonato Brasileiro para evitar o rebaixamento. Em antepenúltimo lugar, o Verdão está, agora, a cinco pontos do Bahia, que empatou com o Grêmio neste sábado, em Salvador.


O Colorado, por sua vez, chegou a 51 pontos, assumindo a quinta posição e torcendo para o Tricolor paulista perder para ficar a quatro pontos do G-4. Em Porto Alegre, o time de Gilson Kleina foi mais eficiente ao atacar no início do jogo e marcou em cabeçada de Luan aos 21 minutos. O Inter, contudo, igualou antes do intervalo, com Fred aproveitando falha da defesa rival aos 34 e, no segundo tempo, Rafael Moura, desmarcado, fez 2 a 1 aos nove minutos.


Na próxima rodada, o Palmeiras segue em sua luta para não disputar a Série B diante do Botafogo, no dia 4, às 17 horas (de Brasília), em Araraquara. Já o Colorado visita o Náutico no mesmo dia, às 19h30, no Recife.


Jogo – O Palmeiras justificou logo nos primeiros minutos da partida a razão da escolha por Wesley e a troca do 4-3-3 pelo 4-4-2. Gilson Kleina escalou o volante, em seu segundo. Aos nove minutos, o espaço do Inter para tocar a bola foi fatal. Forlán deixou para D’Alessandro, livre, cruzar da ponta esquerda para o também completamente desmarcado Rafael Moura ter somente o trabalho de tocar de cabeça para as redes. E sentenciar o desespero no rival.


O Palmeiras passou a cruzar bolas, levando perigo só em cabeçada de Luan. Quando balançou as redes, causou confusão: aos 17 minutos, Barcos desviou com a mão cobrança de escanteio de Marcos Assunção e paralisou a partida por cinco minutos em meio a reclamações. O árbitro, de frente para a jogada, chegou a marcar o gol, mas foi alertado da infração do argentino.


No desespero, Kleina se confundiu nas estratégias. Primeiro, colocou Maikon Leite no lugar de Wesley para jogar com pontas. Pouco depois, preferiu ter um centroavante a mais em campo sacando Luan, que atuava na ponta. O resultado disso foi a derrota palmeirense sob os gritos de “segunda divisão” dos torcedores do Inter.

Jornal Midiamax