Geral

UE festeja negociações entre Farc e governo colombiano

A chefe da diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton, comemorou nesta terça-feira o anúncio do começo das negociações de paz entre o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que chamou de “única janela de oportunidade” para encerrar décadas de conflito. “Expresso minha grande satisfação porque o governo da Colômbia e as […]

Arquivo Publicado em 04/09/2012, às 22h20

None

A chefe da diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton, comemorou nesta terça-feira o anúncio do começo das negociações de paz entre o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que chamou de “única janela de oportunidade” para encerrar décadas de conflito.


“Expresso minha grande satisfação porque o governo da Colômbia e as Farc se comprometeram a iniciar conversas com o propósito de pôr fim ao longo conflito no país”, afirmou Ashton em comunicado.


“Há agora uma única janela de oportunidade para encerrar este conflito de décadas que freou o desenvolvimento e causou um indescritível sofrimento ao povo colombiano”.


O processo de paz entre o governo da Colômbia e as Farc começará na primeira quinzena de outubro em Oslo e depois continuará em Havana, sem o fim das operações militares, anunciou nesta terça-feira o presidente Juan Manuel Santos durante um discurso à Nação.


As negociações “começarão em Oslo na primeira quinzena de outubro” para se deslocar, posteriormente, a Havana”, disse Santos ao detalhar que as negociações não levarão um tempo ilimitado. “Serão meses, não anos”.


Já o líder rebelde, Rodrigo Londoño, também conhecido como “Timochenko”, confirmou o início das negociações com o governo em uma mensagem apresentada à imprensa em Havana.


“A violência deve terminar”, disse Ashton. “As Farc devem aproveitar este momento para assumir a responsabilidade e demonstrar sua sinceridade encerrando seus ataques e violações do direito internacional humanitário”.


“Esta oportunidade de construir a paz e conquistar a segurança e a prosperidade para todos os colombianos não deve ser desperdiçada”, acrescentou Ashton.


O governo norueguês confirmou nesta terça-feira seu desejo de ajudar as partes a conseguir um acordo para pôr fim a um conflito de meio século.


“É preciso coragem para buscar a paz. Queria cumprimentar as partes por iniciar um diálogo que pode pôr fim ao longo conflito armado na Colômbia”, declarou o ministro norueguês das Relações Exteriores, Jonas Gahr Stoere.


As Farc, fundadas em 1964 e que contam atualmente com cerca de 9.200 guerrilheiros, são a guerrilha mais antiga da América Latina.


Na Colômbia também está ativa a guerrilha guevarista Exército de Libertação Nacional (ELN), com 2.500 combatentes.

Jornal Midiamax