Geral

Tsunami chega ao Havaí sem provocar danos graves

O tsunami atingiu hoje (28) o Havaí, nos Estados Unidos, sem causar danos graves, e o alerta foi suspenso. Foram registradas apenas ondas consideradas pequenas. A maior delas, nos primeiros 45 minutos do tsunami, mediu 1,5 metro, em Maui, segundo o Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico. O governador do Havaí, Neil Abercrombie, disse […]

Arquivo Publicado em 28/10/2012, às 14h19

None

O tsunami atingiu hoje (28) o Havaí, nos Estados Unidos, sem causar danos graves, e o alerta foi suspenso. Foram registradas apenas ondas consideradas pequenas. A maior delas, nos primeiros 45 minutos do tsunami, mediu 1,5 metro, em Maui, segundo o Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico.


O governador do Havaí, Neil Abercrombie, disse que o estado escapou de ondas mais severas. Mas, segundo ele, as praias e os portos vão ser mantidos fechados por medida de segurança. O Serviço Nacional de Meteorologia cancelou os avisos que mantinha sobre o Canadá e o estado norte-americano de Oregon, deixando o norte da Califórnia como a única zona ainda sob aviso.


O alerta de tsunami no Havaí fez com que moradores organizassem estoques de alimentos e combustível. Turistas procuraram lugares seguros nos hotéis, em geral, andares mais altos. Em Kauai, três escolas transformadas em centros de abrigo ficaram lotadas.


 O presidente da Câmara de Honolulu, Peter Carlisle, pediu às pessoas que se afastassem das ondas por vários dias e redobrassem os cuidados. “Não há razão para entrar em pânico, mas há todos os motivos para se ter todas as precauções necessárias”, disse.


A Guarda Costeira do Havaí fechou os portos do estado. Houve um apelo para que os comandantes de navios não movimentassem as embarcações. “Não temos qualquer registro de impactos do tsunami até agora. Mas advertimos que as ondas podem continuar por várias horas”, disse o responsável pela guarda, Gene Maestas.


O terremoto, de magnitude 7,7 graus na escala Richter, foi identificado na Costa Ocidental do Canadá. Mas não há registro de danos graves. *Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa

Jornal Midiamax