Geral

Trio suspeito de envolvimento com quadrilha que usava nome de deputado se apresenta

Três pessoas identificadas em um vídeo, que a polícia acredita tratar-se de uma quadrilha que já de um golpe superior a R$ 50 mil, e usava o nome do deputado federal Gabriel Chalita (PMDB), apresentaram-se no 1º DP em Campo Grande. Márcio Bastos de Almeida, 24, Júlio Bastos de Almeida, 20, e Weslley Sobrinho da […]

Arquivo Publicado em 29/10/2012, às 21h36

None
1290445199.jpg

Três pessoas identificadas em um vídeo, que a polícia acredita tratar-se de uma quadrilha que já de um golpe superior a R$ 50 mil, e usava o nome do deputado federal Gabriel Chalita (PMDB), apresentaram-se no 1º DP em Campo Grande.

Márcio Bastos de Almeida, 24, Júlio Bastos de Almeida, 20, e Weslley Sobrinho da Silva, 26, apresentaram-se nesta segunda-feira (29), e se beneficiaram desse período pós eleitoral, na qual nenhuma pessoa, salve algumas exceções, pode ser presas 48 horas depois das eleições.

De dentro do presídio, detentos ligaram em lojas de refrigeração, e fizeram em uma delas o pedido de dez chuveiros e duas luminárias, gerando nessa um prejuízo de R$ 1.800.

De posse do CPF do deputado federal paulista, a loja fazia a consulta e pedia o depósito para a venda. Esse depósito bancário, era feito na sua maioria as sextas-feiras próximo ao horário de encerramento do expediente bancário.

Logo após, Márcio, Júlio e Weslley faziam a retirada dos produtos. Eles negam a participação, e dizem que só foram pagos para fazerem o transporte.

A quadrilha fazia um depósito em um envelope vazio no número da conta da loja. Mesmo sem o banco conferir o dinheiro depositado, aparecia para o estabelecimento o suposto valor da transação.

“A pessoa colocava um envelope vazio, com o valor do orçamento e ligava na loja de volta, sempre no final do expediente bancário, quando não dava mais para conferir o dinheiro. Ela então pressionava o vendedor e este verificava o valor em conta sem confirmação, liberando para o golpista ir buscar os produtos na loja”, afirma o delegado Miguel Said.

A polícia acredita que se trata de uma quadrilha, já que duas pessoas foram presas no último dia 25, por conta da mesma prática, usando o nome do mesmo deputado federal.

Depois da veiculação de um vídeo, onde aparece o trio colocando os produtos em uma caminhonete, outra loja de elétrica, hidráulica e produtos para casa, identificou os três, também como autores de golpes na loja. Um outro homem que aparece na filmagem está sendo identificado.

Ao todo, os três são apontados no golpe em duas lojas de refrigeração, uma de elétrica, hidráulica e produtos para casa e uma relojoaria. Os três que se apresentaram negam conhecer a dupla que presa no último dia 25. Leia mais em matéria relacionadas.

Jornal Midiamax