Geral

Sojicultores de MS entram na etapa final do plantio da soja

Sonora, Coxim, Nova Alvorada do Sul, São Gabriel do Oeste, Sidrolândia, Bandeirantes, Costa Rica e Chapadão do Sul. Essas foram as oito cidades visitadas pelos técnicos da Aprosoja/MS a fim de verificarem com anda o processo de plantio da soja na região centro/norte de Mato Grosso do Sul. Tais municípios cultivam aproximadamente 825 mil hectares […]

Arquivo Publicado em 29/10/2012, às 21h31

None

Sonora, Coxim, Nova Alvorada do Sul, São Gabriel do Oeste, Sidrolândia, Bandeirantes, Costa Rica e Chapadão do Sul. Essas foram as oito cidades visitadas pelos técnicos da Aprosoja/MS a fim de verificarem com anda o processo de plantio da soja na região centro/norte de Mato Grosso do Sul. Tais municípios cultivam aproximadamente 825 mil hectares da oleaginosa e estão com mais de 40% do território já produzidos. Bandeirantes, Costa Rica e Chapadão do Sul apresentam mais da metade da área cultivada.



O levantamento feito pela Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul – Aprosoja/MS, em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul – Famasul, Secretaria Estadual de Produção e Turismo – Seprotur e com recursos do Fundo de Desenvolvimento das Cadeias do Milho e Soja de MS – Fundems, abrangeu também doze cidade que integram o cone sul de MS, das quais Rio Brilhante e Maracaju foram destaque devido à grande evolução, em relação ao ultimo levantamento realizado na semana anterior, apontando 35% e 42% de aumento no total da área de plantio, respectivamente.



Outros índices que também foram identificados pelos técnicos mostram Amambai, Caarapó, Douradina, Naviraí e Ponta Porã variando entre 60% e 75% de cultivo; Aral Moreira, Bandeirantes, Costa Rica, Dourados, Fátima do Sul, Itaporã, São Gabriel do Oeste e Sidrolândia, entre 40% e 59%; e Coxim, Nova Alvorada do Sul e Sonora, de 20% a 30% de área confirmada. “Este menor percentual plantado nos municípios de Coxim e Sonora se dá devido à pluviosidade ter sido em menor quantidade se comparado à outros locais visitados, onde entre os dias 15 a 19 de outubro a quantidade da chuva variou entre 30 a 80 milímetros”, explica Almir Dalpasquale, presidente da Aprosoja/MS.



Almir finaliza dizendo que “o plantio da soja vem evoluindo com a incidência das chuvas, fator limitante na tomada de decisões para os agricultores, uma vez que sem a umidade ideal no solo, as sementes não têm condições de germinação”.



Breve histórico



A produção de soja em Mato Grosso do Sul evoluiu 876% nos últimos 30 anos. De 472 mil toneladas do grão na safra de 1977/1978 a última safra contabilizou 4,6 milhões de toneladas. A área plantada partiu de 494 mil hectares, no final na década de 70 para 1,8 milhão de hectares e deve aumentar em 14% na safra de 2012/2013, chegando a 2,1 milhões de hectares. O aumento se dará principalmente sobre áreas de pastagens degradadas.



O projeto – O projeto Siga/MS, desenvolvido desde a safra 2009/2010, apura estatísticas agropecuárias por meio de utilização de sensoriamento remoto, com uso de imagem de satélites, e levantamento de campo.


Jornal Midiamax