Geral

Sistemas integrados de produção beneficiam produtores de MS

Diversificação de culturas, redução de riscos, melhora na ciclagem de nutrientes do solo, maior produtividade por área, ajuda no controle de pragas e agregação de valores. Estes são os principais benefícios que os produtores alcançam ao implantar o manejo do sistema de integração lavoura-pecuária-floresta. Para facilitar a implantação e melhorar a qualidade produtiva sul-mato-gr...

Arquivo Publicado em 03/12/2012, às 18h41

None

Diversificação de culturas, redução de riscos, melhora na ciclagem de nutrientes do solo, maior produtividade por área, ajuda no controle de pragas e agregação de valores. Estes são os principais benefícios que os produtores alcançam ao implantar o manejo do sistema de integração lavoura-pecuária-floresta.



Para facilitar a implantação e melhorar a qualidade produtiva sul-mato-grossense, a Fundação MS realiza a 17ª edição do Showtec, que acontece em Maracaju do dia 23 a 25 de janeiro. O lançamento oficial do evento será no dia 5 de dezembro, no auditório da Famasul, em Campo Grande, a partir das 9 horas.



“Além de contribuir financeiramente, o sistema de integração colabora com o meio ambiente, uma vez que libera mais matéria orgânica para o solo e por diminuir o aquecimento global, uma vez que contém mais carbono”, explica Renato Roscoe, diretor executivo da Fundação MS.



Maracaju foi o berço desta prática que abrange aproximadamente 80% das lavouras da região e que utilizam o consórcio de milho safrinha com forrageira, segundo estatísticas da entidade. Os números mostram ainda que mais de 10 mil hectares em todo Estado já têm o sistema integrado com florestas implantado, e esta área vem crescendo, estimulada pelo bom momento florestal que Mato Grosso do Sul atravessa.



Alex Melotto, pesquisador de sistemas integrados da Fundação MS, aponta que a lavoura-pecuária ainda é o mais comum, seguido pelo lavoura-pecuária-floresta. “Os produtores estão cada vez mais curiosos sobre o funcionamento desta prática. Dessa forma, estamos realizando constantes estudos buscando qual o melhor método para cada região de MS”, assinala. O pesquisador finaliza com um depoimento pontual: “quem adota essas práticas, não volta atrás”.



“Assim como em qualquer atividade, o maior desafio é a gestão, pois a partir do momento em que novas atividades são inseridas, é necessário ter conhecimento sobre as mesmas. O agricultor deve aprender a lidar com pecuária e vice-versa”, lembra Roscoe.



Na oportunidade, será realizada uma mostra dinâmica com os sistemas já implantados com o consórcio de milho safrinha com forrageira, além de outros ensaios sobre: diferenças nos espaçamentos do milho, diferenças na arquitetura do milho, diferenças de capim e em sua densidade, entre outros.



Showtec 2013



É um evento voltado para empreendedores e produtores rurais. Em 2012, 12 mil pessoas estiveram em Maracaju para conhecer as novas tecnologias de produção agropecuária para a região central do Brasil. Estiveram presentes produtores da Bolívia, Paraguai e Uruguai. O Showtec 2013 é realizado pela Fundação MS em parceria com a Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Sistema OCB/MS e Aprosoja/MS – Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul.


Jornal Midiamax