Geral

Sepultado Camponês, músico que por três décadas fez música caipira com Zé do Campo

Ricardo Cândido Figueiredo, 59 anos, o Camponês, que fazia dupla com Zé do Campo, foi sepultado na tarde desse sábado, 15, no Cemitério Monte das Oliveiras, em Campo Grande. Inúmeros artistas regionais passaram pelo velório para fazer homenagem ao artista que teve mais de 30 anos de carreira. O cantor foi encontrado morto na tarde […]

Arquivo Publicado em 15/09/2012, às 19h21

None


Ricardo Cândido Figueiredo, 59 anos, o Camponês, que fazia dupla com Zé do Campo, foi sepultado na tarde desse sábado, 15, no Cemitério Monte das Oliveiras, em Campo Grande. Inúmeros artistas regionais passaram pelo velório para fazer homenagem ao artista que teve mais de 30 anos de carreira.

O cantor foi encontrado morto na tarde de ontem, sexta-feira, em seu veículo Pálio, no acostamento da BR-262, no município de Terenos. Ele era portador da doença de chagas e ao que tudo indica sofreu um mal súbito enquanto dirigia da cidade de Aquidauana para Campo Grande.

O companheiro de dupla, José Antônio Inácio da Silva, o Zé do Campo, contou ao Midiamax que conheceu Camponês há 33 anos quando fizeram dupla. “Eu fui a um estúdio e ele estava ensaiando com o parceiro dele. Fizemos amizade e depois formamos dupla”, lembra.

De acordo com Zé do Campo, a dupla tinha grande aceitação popular no estado do Mato Grosso, inclusive há 8 anos gravaram um CD com a música de trabalho intitulada menino da tatuagem. “Até hoje esta música é muito tocada lá, pena que aqui foi menos”, diz.

Jornal Midiamax