Geral

Réu acusado de homicídio e ocultação de cadáver é condenado a 16 anos de reclusão em Vicentina

Raimundo Maia Duarte foi condenado a 14 anos de detenção referente ao homicídio e dois anos para o crime de ocultação ou destruição parcial de cadáver cometido contra o agricultor Arlindo Katsuji Higuti, ocorrido no dia 4 de janeiro de 2006, numa propriedade rural localizada na 3º Linha nascente, a 4.800 metros da Rodovia MS-147, […]

Arquivo Publicado em 20/01/2012, às 01h59

None

Raimundo Maia Duarte foi condenado a 14 anos de detenção referente ao homicídio e dois anos para o crime de ocultação ou destruição parcial de cadáver cometido contra o agricultor Arlindo Katsuji Higuti, ocorrido no dia 4 de janeiro de 2006, numa propriedade rural localizada na 3º Linha nascente, a 4.800 metros da Rodovia MS-147, no Travessão do Dez, em Vicentina.


O réu teria cometido o crime por motivo torpe, consistente numa dívida que a vítima lhe cobrava. Ele, que já cumpriu 16 meses de detenção, já havia sido condenado a 13 anos em júri que aconteceu há dois anos.


O julgamento popular de Duarte – que estava marcado para o dia 14 de dezembro de 2011 foi realizado nesta quinta-feira (19) devido à ausência do advogado de defesa devido ao falecimento do pai – aconteceu no plenário do Tribunal do Júri, nas dependências do Fórum de Fátima do Sul, sob a presidência do Juiz Bonifácio Hugo Rausch e do Promotor Dr. Fernando Jamusse.


O réu foi pronunciado pelo incurso no artigo 121, § 2.°, inciso I (motivo torpe), e artigo 211 (ocultação  ou destruição de cadáver), combinado com o artigo 29 (concurso de pessoas), todos do Código Penal,.


Duarte poderá apelar em liberdade. O advogado de defesa, Dr. Marcos Marcello Trad, já se manifestou que irá apresentar recurso.


Outro acusado de ter participação no episódio, Sandro Carvalho Rodrigues, teria cometido o crime mediante promessa de recompensa no valor de R$ 1.000,00 para que o auxiliasse na prática do delito.


Rodrigues foi condenado a 13 anos e seis meses de reclusão em Júri ocorrido dia 1ª de dezembro de 2011.

Jornal Midiamax