Geral

Restrições alimentares em festas de fim de ano devem ser ponderadas com crianças, alerta médico

O médico pediatra e alergologista infantil Dr. Leandro Silva de Britto, que atende em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, explica que alimentos não devem ser evitados pelas crianças não diagnosticadas com alergia. Essa é uma das preocupações das mães, que não sabem se as crianças podem ingerir os alimentos da ceia de Natal e […]

Arquivo Publicado em 23/12/2012, às 18h44

None

O médico pediatra e alergologista infantil Dr. Leandro Silva de Britto, que atende em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, explica que alimentos não devem ser evitados pelas crianças não diagnosticadas com alergia. Essa é uma das preocupações das mães, que não sabem se as crianças podem ingerir os alimentos da ceia de Natal e Ano Novo.


“Exceto os que já sabemos ser prejudiciais em grandes quantidades, como enlatados e embutidos, nada deve ser impelido do cardápio da criança por causa de medo de desenvolver ou aparecer algum tipo de alergia”, explicou.



Midiamax: Com a chegada das festas de fim de ano, existe algum alimento que devemos evitar fornecer às crianças?


Dr. Leandro: Não, exceto os que já sabemos ser prejudiciais em grandes quantidades, como enlatados e embutidos, nada deve ser impelido do cardápio da criança por causa de medo de desenvolver ou aparecer algum tipo de alergia. Não é saudável ficar restringindo o cardápio do filho, colocando medos em alimentos. O que comemos de maneira moderada não nos causa prejuízo quando não temos nada contra aqueles alimentos.



Midiamax: Existe algum tipo de alimento que cause mais reações alérgicas em crianças?


Dr. Leandro: O leite, ovo, soja, trigo e amendoim podem causar alergia em torno de 6 a 7% da população brasileira, incluindo crianças. Mas mais do que fazer com que o filho evite comer certos tipos de alimento é prestar atenção ao que ele come e às reações.



Midiamax: O que pode deixar os adultos alertas em relação ao que a criança come?


Dr. Leandro: A principal e mais comum reação alérgica é vermelhidão na pele, associada a coceira na boca, falta de ar. São sintomas que devem ser observados e, caso surjam, a criança deve ser levada a um pronto socorro e depois os responsáveis devem procurar um especialista. Os pais podem evitar o alimento que suspeita que tenha causado reação alérgica, mas não cortá-lo da alimentação do filho definitivamente sem procurar um especialista.



Midiamax: Quais os sintomas que podem caracterizar uma reação alérgica?


Dr. Leandro: Existem alergias imediatas, não imediatas e mistas. A imediata dá alterações na pele, como vermelhidão e coceira. Em muitos casos, inchaço nos lábios e o mais preocupante é o fechamento da glote. Em casos de reações não imediatas, aparece sangue as fezes, apnéia e nas mistas podem aparecer dermatites atópicas, como manchas nas dobras do corpo.



Midiamax: Quais os maiores mitos sobre as alergias?


Dr. Leandro: O de que corantes são altamente alérgicos. É raro. Também de que a alergia nunca desaparece. Não tem cura, mas pode diminuir e até acabar com o passar dos anos, ainda mais quando em crianças, cerca de 90% dos casos de alergia acabam ou diminuem em dois anos. Já adultos, é mais difícil dizer, principalmente em relação aos frutos do mar.

Jornal Midiamax