Geral

Quarta Erudita apresenta “Recital de Violão Erudito” com Marcelo Fernandes

A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS) realiza mais uma edição do projeto Quarta Erudita apresentando o “Recital de Violão Erudito” com o músico Marcelo Fernandes, na próxima quarta-feira (08 de agosto), às 20 horas, no Teatro Aracy Balabanian, do Centro Cultural José Octávio Guizzo. O concerto tem classificação livre e duração […]

Arquivo Publicado em 31/07/2012, às 23h30

None

A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS) realiza mais uma edição do projeto Quarta Erudita apresentando o “Recital de Violão Erudito” com o músico Marcelo Fernandes, na próxima quarta-feira (08 de agosto), às 20 horas, no Teatro Aracy Balabanian, do Centro Cultural José Octávio Guizzo. O concerto tem classificação livre e duração aproximada de 80 minutos. A entrada será 1 kg de alimento não perecível que será doado ao Hospital do Câncer Alfredo Abrão.


O recital ilustra de forma parcial o desenvolvimento da tradição musical erudita desde o século XVI, até o início do século XIX, oferecendo ao público um panorama estilisticamente diversificado através de uma faceta do violão que ainda é pouco difundida em Mato Grosso do Sul. O evento terá a participação da cantora Malu Mestrinho e será dividido em dois blocos, com três compositores em cada, sendo que no primeiro bloco estão contemplados compositores não violonistas e no segundo bloco, os compositores que escreveram obras originais para violão.


Os dois primeiros compositores: Luis Milan e John Dowland pertencem a um período histórico denominado Renascimento e têm em comum o fato de terem atuado em cortes humanistas e pensarem o discurso musical como sobreposição de linhas melódicas (polifonia) e não uma única linha acompanhada, como é o caso da música popular de nosso tempo. Mas a distância cronológica e geográfica coloca Dowland já como um precursor do Barroco, dados os contrates de caráter e a intensidade afetiva de suas obras.


J S. Bach é considerado um dos pilares da música ocidental, sua obra é citada pelo esteta Italiano Enrico Fubini como padrão de realização intelectual arquitetônica e ao mesmo tempo como sublime expressão de expressão subjetiva. As obras apresentadas são uma dupla inseparável no período Barroco (prelúdio e Fuga), sendo a primeira, uma introdução livre e melancólica para a austeridade e rigor arquitetônico da segunda.


Fernando Sor, Mauro Giuliani e Mateo Carcassi foram responsáveis pelo estabelecimento do violão dentro da sociedade burguesa oitocentista, dotando o instrumento de novo repertório, elevando o padrão técnico de execução e praticamente fundando as bases técnicas para o instrumento.  Sor é o mais clássico dos três em suas obras, tanto a influência dos velhos mestres Mozart e Haydn quanto o vulto beetoveniano são sentidos. Muitos de seus pequenos estudos já são um o prenúncio do romantismo posterior e esse óbvio intelectualismo é contraponteado em sua obra, com peças leves, destinadas à diversão dos diletantes. Já Giuliani e Carcassi são mais operísticos e demonstram claramente a busca pela virtuosidade de Paganini. Em Giuliani, contudo, a grandiloquência beetoveniana também é sentida.


Marcelo Fernandes é Bacharel em Violão e doutor em Artes pela Universidade de São Paulo, e tem entre seus mestres Edelton Gloeden e Edna Baldassi. Estudou também com Abel Carlevaro, de quem foi discípulo durante temporadas de estudo na cidade de Montevideo, Uruguai. Venceu os seguintes concursos de interpretação instrumental: X Concurso Nascente USP – Abril (SP, 2000); I Concurso Internacional Violão Intercâmbio (SP, 1999); XVII Concurso Latino – Americano de Violão Rosa Mística (PR, 1998); II Concurso Nacional de Violão Musicalis (SP, 1998) e I Concurso MOAD (Campos do Jordão, 1999).


Há mais de dez anos, empreende frutífera carreira internacional, tendo realizado dezenas de recitais e masterclasses (aulas de interpretação instrumental) em teatros, conservatórios e universidades na Espanha, França, Suíça, Portugal, Colômbia e Chile. Apresenta-se com freqüência em importantes salas de concerto brasileiras, tais como Auditório do MASP, Centro Cultural de São Paulo, Centro Cultural FIESP, Teatro Glauce Rocha, tendo ainda intensa atividade como docente e recitalista dentro de festivais e concursos de violão brasileiro.


Em 2009 empreendeu uma turnê por 20 estados brasileiros, tendo realizado 86 recitais de violão ao lado do violonista pernambucano Henrique Annes, através do projeto Sonora Brasil, patrocinado pelo DN do SESC. Atualmente é docente efetivo da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), tendo coordenado o Curso de Graduação em Música da instituição de 2005 a 2007. Recentemente retornou de turnê na qual fez a estreia européia da obra integral para violão de Camargo Guarnieri.


O projeto Quarta Erudita começou em abril de 2009 e tem por objetivo fomentar e difundir a música erudita, normalmente é realizado na primeira quarta-feira do mês, proporcionando à classe artística deste segmento espaço para suas apresentações, incentivando a formação de público e de mercado por meio do acesso aos bens culturais.


Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3317-1795 ou no Centro Cultural José Octávio Guizzo que fica localizado na rua 26 de Agosto, 453, entre a Calógeras e a 14 de Julho.


Jornal Midiamax