Geral

“Promissor”, Bruno Senna repete Schumacher e ganha prêmio na Itália

Conforme anuncia nesta terça-feira a Williams, Bruno Senna foi escolhido vencedor do Troféu Lorenzo Bandini em 2012, o qual receberá em uma cerimônia marcada para 15 de julho em Brisighella, próximo à Ímola, no norte da Itália. O prêmio é “tradicionalmente” concedido a “um piloto que mostrou ser prometedor no início da carreira”, nas palavras […]

Arquivo Publicado em 12/06/2012, às 13h50

None

Conforme anuncia nesta terça-feira a Williams, Bruno Senna foi escolhido vencedor do Troféu Lorenzo Bandini em 2012, o qual receberá em uma cerimônia marcada para 15 de julho em Brisighella, próximo à Ímola, no norte da Itália. O prêmio é “tradicionalmente” concedido a “um piloto que mostrou ser prometedor no início da carreira”, nas palavras usadas pela própria equipe britânica em comunicado divulgado à imprensa.


A Williams ainda trata a honraria como “prestigiosa”, tendo como antigos ganhadores o alemão Michael Schumacher (em 2003), o espanhol Fernando Alonso (em 2005), o alemão Sebastian Vettel (em 2009) e o inglês Lewis Hamilton (em 2010), todos campeões mundiais de Fórmula 1. Em 2007, o brasileiro Felipe Massa, atualmente na Ferrari, também foi premiado. O último vencedor havia sido o alemão Nico Rosberg, da Mercedes.


Estabelecido em 1992, o Troféu Lorenzo Bandini homenageia o piloto italiano de mesmo nome, que morreu em 1967, aos 31 anos de idade, poucos dias depois de um acidente durante o Grande Prêmio de Mônaco a bordo de uma Ferrari.


Bandini iniciou sua carreira na F1 em 1961 pela Scuderia Centro Sud. A partir do ano seguinte, passou a disputar algumas corridas pela Ferrari. Sua melhor temporada foi em 1964, quando terminou na quarta posição. O italiano disputou 42 corridas na categoria e somou oito pódios e uma vitória, no GP da Áustria daquele mesmo ano, em Zeltweg. Ele nasceu em Brisighella, pequena cidade de quase 10 mil habitantes localizada na província de Ravenna, na região da Emília-Romanha.


Bruno Senna, 28 anos, estreou na F1 em 2010 pela Hispania e competiu nas últimas oito etapas do campeonato de 2011 pela Lotus. Nesta temporada, virou titular da Williams, tendo somado pontos em três das sete corridas disputadas até aqui: em Malásia, China e Mônaco. Com 15 pontos, ele ocupa a 13ª posição do Mundial de Pilotos.


O brasileiro receberá o prêmio pelo desempenho mostrado em 2011, visto que o troféu sempre se refere ao ano anterior. Bruno foi segundo colocado da GP2 em 2008. O piloto ficou afastado do automobilismo após a morte de seu tio, Ayrton Senna, no GP de San Marino de 1994, no Circuito de Ímola. Em 2004, aos 21 anos de idade, o sobrinho do tricampeão mundial voltou a competir.

Jornal Midiamax