Geral

PIB de Dourados cresce 84,2% em cinco anos, segundo IBGE

O Produto Interno Bruto (PIB) de Dourados cresceu significativamente entre os anos de 2006 e 2010 segundo dados divulgados pelo Instituo Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), nesta quarta-feira. A análise dos números mostra um crescimento de 84,2% neste período. Em 2006, o PIB era de R$ 1,9 bilhões e foi crescendo gradativamente – R$2,3 […]

Arquivo Publicado em 14/12/2012, às 11h13

None
361677550.jpg

O Produto Interno Bruto (PIB) de Dourados cresceu significativamente entre os anos de 2006 e 2010 segundo dados divulgados pelo Instituo Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), nesta quarta-feira. A análise dos números mostra um crescimento de 84,2% neste período.


Em 2006, o PIB era de R$ 1,9 bilhões e foi crescendo gradativamente – R$2,3 bilhões (2007), R$ 2,8 bilhões (2008), R$ 3 bilhões (2009) – até atingir a marca de R$ 3,5 bilhões em 2010. A renda per capita média registrada foi de R$ 18.074,64.


Estes fatores fizeram com que Dourados tivesse o segundo maior PIB do Estado, atrás apenas da capital Campo Grande que possui R$ 13,8 bilhões. Estas duas cidades, juntamente com Corumbá (R$ 3,2 bilhões), Três Lagoas (R$ 2,9 bilhões) e Ponta Porã (R$ 968 milhões), detém mais de 50% do PIB total do Mato Grosso do Sul, que é de R$ 43,5 bilhões.


Ainda de acordo com o IBGE, o PIB é a soma de tudo que foi produzido (bens e serviços) em uma cidade, estado ou país durante determinado período. Isso inclui desde produtos simples, como um pão francês, até a construção de um grande empreendimento.


A variação do PIB está ligada diretamente ao consumo da população. Quanto mais se consome, mais a economia é aquecida e isso faz que o Produto Interno também cresça. Por sua vez, o consumo está ligado à geração de empregos, salários e oscilação dos juros.


PIB NO BRASIL


No Brasil o registro foi de R$ 3,7 trilhões, com participação direta de cinco das principais capitais do país: São Paulo (SP) representa R$ 443,6 bilhões; Rio de Janeiro (RJ) R$ 190,2 bilhões; Brasília (DF) R$ 149,9 bilhões; Curitiba R$ 53,1 bilhões; Belo Horizonte R$ 51,6 bilhões.

Jornal Midiamax