Geral

PF investiga tentativa de fraude em vestibular de medicina na Anhanguera Uniderp

A Polícia Federal investiga fraude em vestibulares em cerca de 40 instituições de ensino e, entre elas, está a Anhanguera Uniderp, com sede em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. A Operação Calouro, deflagrada pela Polícia Federal do Espírito Santo nesta sexta-feira (14), visa desarticular organizações criminosas especializadas em fraudar vestibulares para entidades de ensino […]

Arquivo Publicado em 14/12/2012, às 20h24

None

A Polícia Federal investiga fraude em vestibulares em cerca de 40 instituições de ensino e, entre elas, está a Anhanguera Uniderp, com sede em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. A Operação Calouro, deflagrada pela Polícia Federal do Espírito Santo nesta sexta-feira (14), visa desarticular organizações criminosas especializadas em fraudar vestibulares para entidades de ensino superior de Medicina em todo o Brasil.


De acordo com a assessoria de comunicação do Espírito Santo, não foi presa nenhuma pessoa em Campo Grande, mas o esquema pode ter conseguido colocar alunos nos bancos da faculdade de Medicina da Uniderp.


O próximo passo das investigações da Polícia Federal é identificar quais seriam os alunos beneficiados com o esquema e que estão cursando, ou até já se formaram, na Universidade.
No total devem ser cumpridos 70 mandados de prisão e 73 mandados de busca expedidos. Para realizar a operação, estão sendo empregados mais de 290 policiais federais, em 10 estados (GO, MG, ES, RJ, SP, TO, RS, AC, MT e PI) e no Distrito Federal.


Em nota, a assessoria de comunicação da Anhanguera Uniderp admite que houve uma tentativa de fraude no vestibular em 2010, mas que desconhece novos casos e que não foi oficiada sobre a operação Calouro. Confira na íntegra:


“O Grupo Anhanguera Educacional ressalta que possui um forte esquema de segurança para impedir fraudes e esclarece que em 2010 vivenciou apenas uma tentativa de fraude identificada imediatamente pela direção, que conseguiu coibir a ação em tempo hábil e encaminhou o caso à Polícia Militar. A Instituição informa também que não foi oficiada pela Polícia Federal sobre a Operação Calouro”. 

Jornal Midiamax