Geral

Padroeira leva romaria ao santuário de São Pedro no distrito de Dourados

Celebrações de Nossa Senhora Aparecida iniciam às 6h30 de sexta-feira, com carreata seguida de procissão até o distrito

Arquivo Publicado em 10/10/2012, às 11h13

None
1142204215.jpg

Celebrações de Nossa Senhora Aparecida iniciam às 6h30 de sexta-feira, com carreata seguida de procissão até o distrito

As celebrações da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida devem reunir mais de 10 mil fiéis este ano. A expectativa é do padre Altair Nicoletti, pároco do Santuário Nossa Senhora de Aparecida, na Vila São Pedro, distrito de Dourados. Segundo ele, apesar dos feriados, a previsão é de que as 11 paróquias participem das programações, além de boa parte da Diocese, que compreende 31 municípios, a exemplo do ano passado quando uma multidão compareceu na celebração.


A programação da Igreja Católica para o Dia de Nossa Senhora de Aparecida (12) inicia com carreata a partir das 6h30 com saída da Praça Antônio João. Os fiéis devem fazer uma parada em frente a Seara Alimentos para um momento de oração com os trabalhadores. Em seguida partem para a rotatória do Presídio de Segurança Máxima Harry Amorin Costa, onde iniciam a romaria a pé até o Santuário da Vila São Pedro, cerca de um quilômetro de caminhada com a imagem da Padroeira.


O padre Otair disse que a reflexão deste ano leva o versículo bíblico: “O discípulo amado tomou consigo Maria e a levou para sua casa” (João:19,27). O texto, segundo o padre é uma é uma referência às palavras de Jesus. “Quando pregado na Cruz Ele disse a João: Eis a tua mãe. Mãe eis o teu filho. Com estas palavras interpretamos Maria sendo a Mãe da Igreja. Ela é a intercessora junto a Deus”, adianta.


HISTÓRIA


A devoção à Padroeira do Brasil surgiu em 1717, quando os pescadores Domingos Garcia, Felipe Pedroso e João Alves resgataram a imagem de Nossa Senhora Aparecida do Rio Paraíba, em São Paulo. Encarregados de garantir o almoço do então governador da província de São Paulo, que estava visitando a Vila de Guaratinguetá, eles lançavam as redes e, depois de recolherem a ‘santa’, os peixes começaram a brotar em volta do barco.


Durante 15 anos, Pedroso ficou com a imagem em sua casa, onde recebia diversas pessoas para novenas. Para acomodar melhor as pessoas, a família edificou um oratório para a imagem, até que em 1735 o vigário de Guaratinguetá ergueu uma capela no alto do Morro dos Coqueiros. Com o crescente número de fiéis teve início, em 1834, a construção da Basílica Velha. No ano de 1928, o papa Pio XI proclamava a santa como Rainha do Brasil e sua padroeira oficial.

Jornal Midiamax