Geral

Observadores da ONU chegam a Damasco

Os primeiros observadores da ONU encarregados de supervisionar o cessar-fogo na Síria chegaram a Damasco, informou neste domingo um porta-voz das Nações Unidas. “Já chegaram (à Síria) e amanhã começarão a trabalhar”, explicou Kieran Dwyer, porta-voz do departamento para a Manutenção da Paz da ONU. Os seis observadores são os primeiros integrantes de uma missão […]

Arquivo Publicado em 15/04/2012, às 23h36

None

Os primeiros observadores da ONU encarregados de supervisionar o cessar-fogo na Síria chegaram a Damasco, informou neste domingo um porta-voz das Nações Unidas.


“Já chegaram (à Síria) e amanhã começarão a trabalhar”, explicou Kieran Dwyer, porta-voz do departamento para a Manutenção da Paz da ONU.


Os seis observadores são os primeiros integrantes de uma missão de 30 funcionários aprovada pelo Conselho de Segurança da ONU no sábado, para supervisionar o cessar-fogo entre o regime em Damasco e a oposição rebelada.


“Os demais observadores chegarão à Síria nos próximos dias”, disse Dwyer.


O primeiro grupo tem por objetivo estabelecer um centro de operações e a rotina de trabalho para que a missão de observadores possa comprovar o cessar-fogo iniciado na quinta-feira passada.


O enviado especial da ONU e da Liga Árabe para a Síria, Kofi Annan, tem a intenção de enviar mais de 200 observadores ao país, mas o Conselho de Segurança vincula tal presença ao fim da violência.


A agência oficial de notícias síria Sana reagiu à chegada do grupo afirmando que “a Síria aprovou a missão de observadores da ONU e que não tem nada a esconder”, e espera que “transmitam a imagem real do que ocorre sobre o terreno”.


“Desde o início do conflito, a Síria tem estado aberta a todas as iniciativas e a todos os esforços para superar a atual crise, que atenta contra sua segurança e estabilidade”.


Mas a agência oficial de notícias advertiu que os esforços destinados a acabar com a violência devem ser “baseados no respeito à soberania síria”.


A Sana destacou que o país aceitou a missão da ONU porque a “demanda principal da Síria é constatar os crimes dos terroristas (…) financiados e armados por partes estrangeiras”.


Neste domingo, o cessar-fogo foi violado por bombardeios sobre a cidade de Homs e por combates em Aleppo.


“Novamente estou muito preocupado pelo ocorrido ontem e hoje” na Síria, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, depois de se reunir em Bruxelas com o primeiro-ministro belga, Elio Di Rupo.


“É muito importante que o governo sírio adote todas as medidas necessárias para preservar o cessar-fogo”, disse Ban.


Segundo a ONU, mais de 10 mil pessoas, a maioria civis, morreram pela repressão da revolta desde meados de março de 2011 e ao menos um milhão de pessoas foram obrigadas a se deslocar no interior do país.

Jornal Midiamax