Geral

Motivação para matar florista surgiu com desentendimento de quem era ‘ativo’

No domingo seria o terceiro programa combinado entre os três

Arquivo Publicado em 06/03/2012, às 11h54

None

No domingo seria o terceiro programa combinado entre os três

Presos na Depac Piratininga, os dois suspeitos de terem matado a paulada o floricultor Luís Augusto Mendes Rachel, 49 anos, confessaram o crime e contaram que o que os levou a praticar o assassinato foi que a vítima, no último programa entre eles, queria ser o homem na relação sexual.


Segundo a delegada Gabriela Stainle, os autores disseram que na noite de domingo (4) seria o terceiro encontro dos três. Nos anteriores, Luís Augusto teria pagado a eles R$ 200.


Luiz Felipe Valentim Cândido, 18 anos, junto com um adolescente de 15 anos, também disseram à delegada que eles começaram a agressão com socos e chutes. Com Luís Augusto já caído no chão, eles atingiram a cabeça da vítima com uma paulada, que matou o floricultor.


Além de pegar o carro de Luís Augusto, que foi o que levou a polícia até os dois, eles também pegaram R$ 60 da carteira da vítima, alegando ser o pagamento do programa.


Os dois moram no Jardim Los Angeles, em Campo Grande. O adolescente estuda e Luiz Felipe disse é autônomo e trabalha com o tio.


Inicialmente investigado apenas como homicídio, o caso vai para a 4ª Delegacia de Polícia Civil.


Caso


Na manhã de ontem, Luís Augusto Mendes Rachel foi encontrado morto em uma estrada vicinal próxima ao Aeroporto Teruel, na BR-163, saída para São Paulo, em Campo Grande. Perto do corpo havia buquês de flores, além de dois preservativos usados.


Os dois suspeitos foram presos no final da tarde desta segunda-feira de posse das chaves e do documento do veículo da vítima. Após denúncia de que o carro de Luís Augusto, um GM Classic preto, de placas HTV-0214, teria pernoitado no bairro dos autores, a PM foi ao local.

Jornal Midiamax