Geral

Mato Grosso do Sul é o 3º estado com maior incidência de tráfico de pessoas

Mato Grosso do Sul ocupa a 3ª posição dos estados brasileiros com maior ocorrência de tráfico de pessoas, ficando atrás apenas da Bahia e Pernambuco. Na sessão desta quinta-feira (18/10), o deputado estadual Pedro Kemp (PT) fez um alerta sobre a ocorrência deste crime e incentivou a população a denunciar. “Hoje é celebrado o Dia […]

Arquivo Publicado em 18/10/2012, às 15h34

None

Mato Grosso do Sul ocupa a 3ª posição dos estados brasileiros com maior ocorrência de tráfico de pessoas, ficando atrás apenas da Bahia e Pernambuco. Na sessão desta quinta-feira (18/10), o deputado estadual Pedro Kemp (PT) fez um alerta sobre a ocorrência deste crime e incentivou a população a denunciar.


“Hoje é celebrado o Dia Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. É uma iniciativa que visa conscientizar a população sobre este crime e estimular a denúncia. O lucro estimado das organizações criminosas é de US$ 32 bilhões por ano, o que coloca o tráfico de pessoas como a terceira atividade ilegal mais lucrativa do mundo”, informou.


Após levantamento, a OIT (Organização Internacional do Trabalho) mapeou 241 rotas de tráfico: 110 dentro do Brasil e 131 internacionais. “Os principais destinos no exterior são para Europa e Estados Unidos. Cerca de 70 mil brasileiros são traficados anualmente para o exterior. Cuidado com as promessas de emprego. É mentira que tem emprego na Europa, onde está acontecendo uma grave crise econômica”, acrescentou.


Kemp advertiu sobre as oportunidades de emprego fáceis. “Pessoas com sonhos de melhorar de vida acabam caindo na rede criminosa que trafica pessoas para explorá-las. Oitenta por cento dos casos estão relacionados à exploração sexual”.


O parlamentar destacou ainda a atuação do governo federal. “Em 2006, o presidente Lula promulgou a Política Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e organizou diversas iniciativas, como os Núcleos de Enfrentamento e os Postos de Atendimento. Em Mato Grosso do Sul existe um Comitê Estadual, que atua há mais de 10 anos”, ressaltou.


Denúncias podem ser feitas pelos telefones 0800 647 322 e (67) 3384-0710.

Jornal Midiamax