Geral

Mastite pode atingir até 40% do rebanho leiteiro

A ocorrência média da mastite no rebanho leiteiro pode chegar a 40%. A afirmação é do professor doutor do Departamento de Nutrição e Produção Animal da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (USP), Marcos Veiga, um dos palestrantes do 15º Encontro Técnico do Leite, que acontece em Campo Grande (MS), […]

Arquivo Publicado em 25/04/2012, às 19h14

None

A ocorrência média da mastite no rebanho leiteiro pode chegar a 40%. A afirmação é do professor doutor do Departamento de Nutrição e Produção Animal da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (USP), Marcos Veiga, um dos palestrantes do 15º Encontro Técnico do Leite, que acontece em Campo Grande (MS), nos dias 14 e 15 de maio.


Segundo o professor, a doença é responsável por perdas de produção de leite e redução da qualidade do produto. “A mastite altera a composição do leite, principalmente pela redução dos componentes de maior valor econômico e nutricional, como a caseína do leite (proteína), a gordura e a lactose.


Sendo assim, o leite de vacas com mastite tem potencial de rendimento menor e maior alteração da qualidade”, explica. Marcos Veiga irá abordar sobre o controle da doença e a qualidade do leite. O encontro contará ainda com outras palestras que irão abordar aspectos relevantes do setor leiteiro.


O 15º Encontro Técnico do Leite será realizado no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, no auditório Manoel de Barros. O evento tem expectativa de receber mil participantes e será realizado com o Sindicato Rural de Campo Grande. As inscrições estão abertas e até o dia 10 de maio, o valor é de R$ 50,00.


Senar


O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), é uma instituição mantida pela classe patronal rural, vinculada à Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Para mais informações, www.senarms.org.br.

Jornal Midiamax