Geral

Mano aprova Seleção sem centroavante, mas quer testes

Com a ressalva de que os últimos adversários da Seleção Brasileira eram frágeis, o técnico Mano Menezes amadureceu a ideia de que um ataque sem centroavante possa ser a melhor formação a se trabalhar até a Copa do Mundo de 2014. A intenção do treinador é repetir a proposta contra equipes mais fortes e ganhar […]

Arquivo Publicado em 13/10/2012, às 14h38

None

Com a ressalva de que os últimos adversários da Seleção Brasileira eram frágeis, o técnico Mano Menezes amadureceu a ideia de que um ataque sem centroavante possa ser a melhor formação a se trabalhar até a Copa do Mundo de 2014. A intenção do treinador é repetir a proposta contra equipes mais fortes e ganhar segurança para utilizar como base a escalação de quatro jogadores de intensa movimentação.



“Tivemos muito volume e muita criação. Temos que repetir agora contra seleções de melhor nível”, disse Mano após a goleada por 6 a 0 sobre o Iraque, na última quinta-feira. A formação inicial no jogo teve Kaká aberto pela esquerda, Oscar centralizado, Hulk na direita e Neymar mais adiantado. Porém, ao longo da partida a troca de posições foi constante.



Apesar de usada já em outras oportunidades, a formação surge como solução para a dificuldade de Mano em encontrar um camisa nove confiável e de peso. Leandro Damião no momento é o único que tem sido chamado com frequência, mas o treinador deve ainda fazer testes para a posição até fechar o grupo para a Copa do Mundo. “Não se pode abrir mão de um homem de referência. Às vezes vamos precisar de alguém com mais presença na área”, disse Mano.



Damião terminou a Olimpíada de Londres como artilheiro, mas perdeu espaço na Seleção desde que recebeu vaias no Morumbi na vitória por 1 a 0 sobre a África do Sul. Desde então, o jogador do Inter começou no banco de reservas até no Superclássico das Américas, quando apenas jogadores locais estavam à disposição. Luís Fabiano foi o escolhido e pode ter mais chances no futuro se mostrar evolução física. O atacante, 30 anos, luta contra lesões musculares e perdeu muitos jogos com o São Paulo no ano.



Neste cenário, Fred pode aparecer como alternativa. Segundo o jornal Folha de S.Paulo deste sábado, o atacante da Seleção deve ser novamente convocado. A última chance do jogador ocorreu nos amistosos contra Costa Rica e México. Depois, ele se envolveu em polêmica ao reclamar publicamente de ter ficado fora da lista contra África do Sul e China.



Na última sexta-feira, o diretor de Seleções da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Andrés Sanchez, disse que não existe veto a Fred ou a nenhum outro atleta. Mano tem mantido em entrevistas um tom político em relação ao tema e mostrou anteriormente que resolverá problemas de trato pessoal para não interferir na Seleção. O lateral esquerdo Marcelo ficou um tempo afastado por problemas disciplinares, mas voltou a ser convocado e atualmente é titular do time.



Melhor produção



Pelo menos contra chineses e iraquianos, a produção ofensiva aumentou com uma formação sem atacante fixo. Aproveitando-se da fragilidade rival, a Seleção finalizou 29 vezes ao gol em cada duelo e trocou mais de 500 passes em cada jogo. Os números são da Footstats.


Jornal Midiamax