Geral

Livro sobre Mato Grosso do Sul na II Guerra será lançado neste sábado em Campo Grande

Será lançado amanhã (15) em Campo Grande o livro “Confissões do Front: soldados do Mato Grosso do Sul na II Guerra Mundial”, do jornalista Helton Costa pela editora Grupo Literário Arandu. O livro conta a história de ex-combatentes do Estado que fizeram parte entre 1944-45 da Força Expedicionária Brasileira – FEB, contingente militar de 25 […]

Arquivo Publicado em 14/09/2012, às 17h48

None

Será lançado amanhã (15) em Campo Grande o livro “Confissões do Front: soldados do Mato Grosso do Sul na II Guerra Mundial”, do jornalista Helton Costa pela editora Grupo Literário Arandu. O livro conta a história de ex-combatentes do Estado que fizeram parte entre 1944-45 da Força Expedicionária Brasileira – FEB, contingente militar de 25 mil soldados que combateu ao lado dos Exércitos Aliados contra o nazismo e o fascismo.

Segundo o autor foram mais de 180 os soldados nascidos no Mato Grosso do Sul ou que escolheram o Estado para morar após a guerra. Desse total quase duas dezenas ainda estão vivos e parte deles que mora em Campo Grande receberá amigos e familiares para o lançamento do livro, que ocorrerá na sede da Associação dos Ex-combatentes, que fica na Rua 13 de Maio, n°4.111 no centro da capital. O evento tem entrada gratuita.

Para escrever o livro Helton visitou quartéis, vasculhou arquivos, entrevistou os ex-combatentes que ainda estavam vivos, consultou bibliografias e biografias, trocou informações com outros jornalistas que haviam escrito sobre o assunto e visitou os antigos campos de batalha do norte da Itália, onde os sul-matogrossenses lutaram contra as tropas de Hitler e Mussolini.

“A população por onde os brasileiros passaram ainda reverencia os esforços de guerra dos nossos soldados. Há 37 monumentos em homenagem aos pracinhas, como eles eram chamados. Na igreja onde os alemães se renderam aos brasileiros há uma placa com o nome de dois sul-matogrossenses que morreram lutando ali. É emocionante saber que passaram por lá quase 600 mil combatentes e que eles lembram e homenageiam justamente os 25 mil brasileiros que os libertaram dos nazistas”, explica o autor.

FEB

Na guerra, que acabou em maio de 1945, os expedicionários como eram conhecidos, enfrentaram além do inimigo que já lutava havia quase seis anos, temperaturas que no inverno chegaram a -20ºC.

O treinamento que os brasileiros receberam foi de menos de seis meses, quando o normal era pelo menos um ano. Mesmo assim os brasileiros não fizeram feio, pelo contrário, ajudaram no esforço de guerra e combateram à altura dos Exércitos mais experientes, tanto dos aliados, quanto dos inimigos e depois de nove meses de lutas, os alemães se renderam incondicionalmente em 8 de maio de 1945. Em 239 dias de ação, a FEB fez mais de 20 mil prisioneiros e matou outros milhares, porém perdeu mais de 451 soldados, mortos em combate, e registrou ainda 1,6 mil feridos, acidentados e desaparecidos.

Dez jovens sul-matogrossenses morreram em batalha e vários outros foram feridos por tiros e estilhaços de granada.

Curiosidade

No dia 1º de setembro o livro foi lançado em Dourados. Helton destaca uma curiosidade do lançamento do dia 1°, que segundo ele não se repetirá em Campo Grande. “Os primeiros 80 livros impressos foram vendidos com erros de grafia por conta da impressão. Assim que notou a gráfica os corrigiu, porém, 80 já tinham sido vendidos. Tentei trocar as edições com erros por corretas com alguns colegas, mas ninguém está aceitando, dizem ser ‘edições históricas’ e por isso querem ficar com elas. Tem gente atrás dessas edições históricas, mas já estão esgotadas, agora só tenho as corrigidas”, explica em meio a sorrisos o autor.

Serviço

O livro será vendido por R $20 e o lançamento acontecerá na sede da Associação Nacional dos Veteranos da Força Expedicionária Brasileira (ANFEB), na Rua 13 de Maio 4.111, às 15h.

Jornal Midiamax