Geral

HU de Dourados corta 20 leitos de UTI com redução gradual de atendimentos

A redução se deve ao gargalo financeiro enfrentado pela instituição que nos últimos meses vem contabilizando déficit em cerca de R$ 1 milhão por mês

Arquivo Publicado em 01/08/2012, às 13h48

None

A redução se deve ao gargalo financeiro enfrentado pela instituição que nos últimos meses vem contabilizando déficit em cerca de R$ 1 milhão por mês

O HU (Hospital Universitário de Dourados), começou hoje (1º), a redução gradual de atendimentos, cortando 20 leitos de UTI da prestação de serviços hospitalar. De acordo com informações da direção do Hospital, o corte nos serviços se deve ao déficit financeiro de cerca de R$ 1 milhão mensal que a instituição vem enfrentando nos últimos meses. O diretor geral, professor Wedson Desidério Fernandes, afirmou que “a medida será mantida até a regularização do credenciamento, financiamento e nova contratualização com o Poder Público”.

A decisão de começar o corte gradual nos serviços foi tomada ontem (31), em reunião do conselho gestor. “Enquanto não houver aumento nos repasses para continuar o pleno funcionamento, a determinação é fazer a redução gradual dos leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo). Não temos mais como bancar o custo dos atendimentos”, afirmou Desidério.

A partir de hoje já não estão funcionando 6 leitos UTI Adulto, 4 UTI pediátricas – que não estão credenciadas pelo SUS, nem tem financiamento público; e mais 10 unidades de tratamento para pacientes portadores de HVI Aids – que ficam sem qualquer alternativa hospitalar pelo SUS na cidade. A instituição informou que cada um desses leitos custa entre R$ 1,5 mil a R$ 4 mil por dia – dependendo da doença e do tratamento da pessoa que for internada.

De acordo com relatório da secretaria municipal de saúde de Dourados, no primeiro quadrimestre o HU foi responsável por 34,7% de um total de 5.486 internações feitas por meio da rede pública, ficando atrás apenas do Hospital da Vida, que teve índice de 36,6%.

Soluções

Na tentativa de dar uma resolução para o impasse, o reitor da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), Damião Duque de Farias, está hoje no MEC (Ministério da Educação), em audiência com os gestores dos HU’s, na tentativa de conseguir uma solução para o aumento de receita.

No dia 03 de agosto haverá uma reunião da CIR (Comissão Intergestores Regional), que vai avaliar a reorganização da macrorregional de Dourados. Já na terça-feira (7), os representantes de saúde do município se reúnem com a Secretária Estadual de Saúde, Beatriz Dobashi, e o governador, André Puccinelli (PMDB), para tratar da situação hospitalar da cidade.

Jornal Midiamax