Geral

Geraldo cobra ativação definitiva da Vila Olímpica Indígena

Depois de quase um ano após a inauguração, que ocorreuem maio do ano passado, a Vila Olímpica Indígena finalmente foi utilizada, com arealização de diversas atividades durante a comemoração do Dia do Índio, nasemana passada. No entanto, por falta de manutenção, vários equipamentos apresentaramproblemas, como é o caso da bomba d’água e de banheiros que […]

Arquivo Publicado em 27/04/2012, às 14h11

None

Depois de quase um ano após a inauguração, que ocorreuem maio do ano passado, a Vila Olímpica Indígena finalmente foi utilizada, com arealização de diversas atividades durante a comemoração do Dia do Índio, nasemana passada. No entanto, por falta de manutenção, vários equipamentos apresentaramproblemas, como é o caso da bomba d’água e de banheiros que não puderam serutilizados adequadamente pela comunidade.


A constatação é do deputado federal Geraldo Resende(PMDB), que está cobrando a ativação efetiva daquele complexo esportivo, comatividades regulares, ministradas pela administração municipal e comacompanhamento de técnicos capacitados para oferecer orientação aosdesportistas indígenas, a fim de que a Vila Olímpica seja utilizadaadequadamente, atendendo à finalidade para a qual foi projetada.


No ano passado, Geraldo Resende, que é o autor dosrecursos que possibilitaram a construção da obra, interveio em Brasíliagarantindo 10 núcleos de programas do governo federal. Destes, a Prefeituraperdeu prazos e só conseguiu se cadastrar em um deles. Agora, novamente, odeputado está intercedendo em Brasília, verificando a possibilidade doMunicípio ter uma nova oportunidade de firmar estes convênios.


Dos oito programas, os mais conhecidos são o “SegundoTempo” e o PELC. O primeiro tem como ações financiar a capacitação de gestorese monitores, e promover práticas esportivas para alunos do ensino médio esuperior, tendo como principal objetivo proporcionar uma alternativa parajovens carentes. Já o PELC financia a construção de políticas públicas por 24meses, até a apropriação das atividades pela administração local.


Durante recente encontro, Geraldo Resende entregou aoministro um histórico da luta pela edificação da primeira Vila Olímpica dopaís, que resultou num investimento de mais de R$ 1,4 milhão, viabilizado pormeio de emendas do parlamentar. O deputado também relatou a questão daviolência na reserva indígena e reiterou o pedido para criação de uma políciacomunitária. “Falei ao ministro sobre a necessidade de fazer, da Vila Olímpica,também um local de formação de recursos humanos, que venha a qualificar osjovens para que sejam verdadeiros agentes da cidadania”, salienta GeraldoResende.

Jornal Midiamax