Geral

Flu sofre pressão fora, mas bate Bahia com golaço e mantém folga

O Fluminense mostrou nesta quarta-feira que a eficiência é um dos segredos para ser líder do Campeonato Brasileiro. Afinal, o time carioca sofreu pressão em Salvador, mas viu o Bahia desperdiçar diversas oportunidades, por causa da trave e de Diego Cavalieri. Já o Fluminense, nas poucas chances que teve, fez o placar de 2 a […]

Arquivo Publicado em 10/10/2012, às 23h27

None

O Fluminense mostrou nesta quarta-feira que a eficiência é um dos segredos para ser líder do Campeonato Brasileiro. Afinal, o time carioca sofreu pressão em Salvador, mas viu o Bahia desperdiçar diversas oportunidades, por causa da trave e de Diego Cavalieri. Já o Fluminense, nas poucas chances que teve, fez o placar de 2 a 0, inclusive com um golaço do lateral Bruno, e assegurou a terceira vitória seguida sem sofrer gol.

Agora o líder do campeonato tem 65 pontos e pelo menos vai manter a diferença que já tinha em relação ao Atlético-MG – atualmente com 56 pontos, o time de Cuca e companhia vai jogar nesta quarta contra o Internacional, fora de casa. Já o Bahia parou nos 35 pontos e segue no meio da tabela, ainda longe da zona de rebaixamento.

Sem Thiago Neves, que está com a Seleção Brasileira, Abel Braga escalou Rafael Sóbis para jogar aberto pela esquerda. Mas foi o Bahia que soube explorar primeiro este lado do campo: aos 6min, Hélder acertou uma perfeita enfiada de bola para Jussandro, que ficou de frente para o gol, mas chutou para fora. Logo depois, foi a vez de Gabriel dominar sozinho na área, mas dessa vez Diego Cavalieri foi quem evitou o gol.

Depois de sofrer esses sustos iniciais, o Fluminense equilibrou o jogo, passou a ficar mais tempo com a bola, mas ainda viu o Bahia acertar o travessão de Cavalieri: aos 18min, Neto mostrou que é especialista em bolas paradas e por pouco não abriu o placar. Mas depois disso o jogo ficou mais morno, até porque os dois times tinham meio-campos congestionados, com cinco jogadores cada.

Uma boa saída para o Fluminense era o contra-ataque, principalmente com Wellington Nem. Mas aos 36min, o jovem meia-atacante errou ao disparar em velocidade ao gol, mas não tocar para Sóbis, que estava sozinho na direita. Logo depois, o Bahia chegou perto do gol de novo: Gabriel ficou com rebote na entrada da área e forçou Cavalieri a se esticar para evitar o gol. Por fim ainda houve uma nova falha de Nem: aos 41min, Fred escorou de cabeça, mas ele não conseguiu alcançar a bola e escorar para o gol.

Após tantas chances desperdiçadas, o segundo tempo continuou da mesma forma, já que Diego Cavalieri seguiu inspirado. Com apenas 1min da etapa final, Zé Robertou já chutou rasteiro e viu o goleiro defender. Na sequência, após cruzamento de Neto, ele saiu do gol e evitou que Fabinho finalizasse para a rede. Na pressão ainda houve um gol de Lulinha, mas de forma polêmica o juiz não validou por impedimento.

O começo da evolução do Fluminense aconteceu aos 7min, quando Nem recebeu longo lançamento, driblou Lomba, mas deixou o goleiro adversário se recuperar e evitar o gol. Porém, aos 13min, não teve quem parasse o lateral Bruno: ele recebeu passe na ponta direita, encobriu Lulinha com um toque de cabeça, se livrou de Titi com um toque e finalizou entre as pernas de Lomba para completar o golaço.

Em um primeiro momento, o gol não desanimou o Bahia, que desperdiçou mais uma oportunidade: aos 15min, Neto chutou de fora da área e acertou a trave. Mas depois o time da casa diminuiu o ritmo e sofreu o golpe final: aos 29min, após cruzamento da esquerda, a defesa tentou afastar, mas Rafael Sóbis ficou com o rebote. Sozinho, de frente para o gol, ele dominou a bola no peito e decretou o placar final do jogo.

Jornal Midiamax