Geral

Explosão em refinaria na Venezuela deixa ao menos 24 mortos

Uma explosão na refinaria venezuelana de Amuay deixou pelo menos 24 mortos e 50 feridos, informaram neste sábado fontes oficiais. Entre os mortos há uma criança de 10 anos. Amuay, que compõe o Centro de Refino de Paraguaná (CRP), o principal da Venezuela e um dos maiores do mundo. Um vazamento de gás ocorrido à […]

Arquivo Publicado em 25/08/2012, às 14h55

None

Uma explosão na refinaria venezuelana de Amuay deixou pelo menos 24 mortos e 50 feridos, informaram neste sábado fontes oficiais. Entre os mortos há uma criança de 10 anos. Amuay, que compõe o Centro de Refino de Paraguaná (CRP), o principal da Venezuela e um dos maiores do mundo.

Um vazamento de gás ocorrido à 1h11 (1h36 de Brasília) teria produzido um incêndio em dois tanques da instalação, danificando outras estruturas da refinaria. Segundo dados passados à VTV pela governadora do Estado de Lara, Stella Luga, o incidente gerou pânico entre a população local, mas garantiu que a situação já está sob controle, ainda que o número de mortos venha crescendo – as primeiras informações indicavam sete vítimas fatais. A governadora acrescentou que “ainda há fogo muito alto” na refinaria devido à queima de hidrocarbonetos, mas “não há risco” de novas explosões.

O ministro do Petróleo e Mineração venezuelano, Rafael Ramírez, confirmou a explosão, mas afirmou desconhecer a causa do vazamento de gás. Ramírez disse que “a onda explosiva foi de grande magnitude, de modo que há danos apreciáveis em infraestrutura e em imóveis” localizados em frente às instalações de Amuay. Zonas próximas ao local da explosão foram evacuadas

“Foi uma explosão na área de armazenamento, produto de um vazamento de gás que, pelas condições climáticas que reinavam, ficou acumulado na área e, diante de uma fonte de ignição, explodiu”, explicou Ramírez, depois de fazer um reconhecimento das instalações, acompanhado de Luga. “Vamos investigar a origem disso, mas não podemos adiantar nenhuma hipótese. Agora, o que estamos fazendo é enfrentar a situação, atendendo aos feridos, retirando os escombros”.

Seguno a agência AP, este acidente configura o pior episódio da história da indústria petroleira venezuelana. O Centro de Refinamento Paraguaná processa 645 mil barris de petróleo por dia. A Venezuela é o quinto maior exportador de petróleo do mundo.

Jornal Midiamax