Geral

Edil admite que pode recuar e apoiar outro candidato à presidência da Câmara

O vice-prefeito de Campo Grande, Edil Albuquerque (PMDB), não esconde a vontade voltar a presidir a Câmara. O vereador é um dos 29 que chegam a Casa em 2013 e se articula para chegar ao posto. Porém, esbarra na resistência da maioria, que defende a presidência ocupada por alguém que nunca esteve no cargo. Esperançoso, […]

Arquivo Publicado em 26/11/2012, às 17h58

None

O vice-prefeito de Campo Grande, Edil Albuquerque (PMDB), não esconde a vontade voltar a presidir a Câmara. O vereador é um dos 29 que chegam a Casa em 2013 e se articula para chegar ao posto. Porém, esbarra na resistência da maioria, que defende a presidência ocupada por alguém que nunca esteve no cargo.

Esperançoso, Edil aguarda uma reunião do PMDB para discutir o assunto. Ele entende que o partido deve marchar em conjunto para se fortalecer. Apesar de estar se articulando, Edil ressalta que não pretende levar a vontade adiante caso não consiga apoio. “Sou candidato, mas não sou louco. Se não der, eu recuo e vou ajudar outro”, explicou.

Edil justifica que é maduro o suficiente para entender, caso alguém consiga mais votos que ele, e diz que se preocupa com a administração. “O importante é manter a governabilidade e a harmonia entre os Poderes”.

O vereador eleito afirma que não é descartada a possibilidade dele integrar o grupo dos 17 vereadores já fechados para eleger o presidente. Ele alega que fez parte da primeira reunião do grupo e só não foi nas demais por falta de tempo. Sobre as dificuldades enfrentadas por não ter o perfil desejado pela maioria, de sangue novo na presidência, Edil afirma que está pronto para servir com a experiência na prefeitura e no mandato já ocupado na presidência da Câmara.

Jornal Midiamax