Geral

Dilma e Eike Batista defendem parceria entre Petrobras e OGX

A presidenta Dilma Rousseff e o empresário Eike Batista defenderam hoje (26) uma parceria estratégica entre a Petrobras e a empresa OGX (parte do grupo EBX) na área de petróleo e gás. Dilma visitou durante a tarde desta quinta-feira, ao lado do empresário, as obras do Super Porto de Açu, em São João da Barra, […]

Arquivo Publicado em 27/04/2012, às 00h57

None

A presidenta Dilma Rousseff e o empresário Eike Batista defenderam hoje (26) uma parceria estratégica entre a Petrobras e a empresa OGX (parte do grupo EBX) na área de petróleo e gás. Dilma visitou durante a tarde desta quinta-feira, ao lado do empresário, as obras do Super Porto de Açu, em São João da Barra, região norte fluminense. Ela também participou da cerimônia que marcou o início da produção de petróleo da OGX na Bacia de Campos.


Dilma falou sobre a importância do país ter uma grande empresa nacional, como o grupo EBX, citou uma possível parceria com a estatal e ressaltou a força dos empreendedores públicos e privados.


“O nosso país tem, na área de petróleo, um grande poder e uma grande força de soberania. Acredito que não pode haver concorrência no nosso espírito entre duas grandes empresas, como é o caso da Petrobras e da OGX. Ambas se situam em patamares diversos. Agora, ambas podem ganhar muito com uma parceria entre elas. Estou certa que a OGX tem uma grande colaboração a dar no que se refere a obter tecnologia de última geração para o Brasil”, disse Dilma, em trechos de seu discurso.


Eike Batista explicou como pode ser feita a parceria entre as duas empresas e informou que o assunto está sendo tratado em reuniões desde a posse da atual presidenta da Petrobras, Graça Foster, em fevereiro deste ano.


“O Brasil é tão grande, essas áreas do pré-sal são tão gigantes, se a gente puder se complementar, ajudar um ao outro, tem que ser bom para a Petrobras e bom para a gente. Cabeças que querem criar riquezas juntas vão saber dividi-las juntas”, disse o empresário, que mencionou, inclusive, a possibilidade da criação de uma terceira empresa, que reuniria a OGX e a Petrobras, para atuar no setor energético.


Jornal Midiamax