Geral

Dengue segue avançando, mas levantamento já aponta redução de índices em Corumbá

O avanço da dengue em Corumbá segue em curva ascendente, avaliou a gerente de Vigilância em Saúde, Viviane Ametlla, ao informar o resultado do Levantamento de Índices por Amostragem (LIA) realizado pela Secretaria de Saúde em cinco bairros. “A curva continua ascendente, ainda está crescendo. Fechamos a Semana Epidemiológica 16 com 364 notificações”, alertou a […]

Arquivo Publicado em 25/04/2012, às 11h53

None

O avanço da dengue em Corumbá segue em curva ascendente, avaliou a gerente de Vigilância em Saúde, Viviane Ametlla, ao informar o resultado do Levantamento de Índices por Amostragem (LIA) realizado pela Secretaria de Saúde em cinco bairros. “A curva continua ascendente, ainda está crescendo. Fechamos a Semana Epidemiológica 16 com 364 notificações”, alertou a gerente explicando que os números dizem respeito a semana completa.


Ao longo do ano, as notificações de suspeita de dengue se aproximam dos mil registros. Nas 16 semanas foram contabilizadas exatas 997 suspeitas da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. No ano passado, foram 207 notificações até a Semana 15. Nestas 16 semanas, os cinco bairros com maiores notificações de suspeitas de dengue são Centro (144 notificações); Aeroporto (133); Cristo Redentor (102); Dom Bosco (100) e Popular Nova (77).


Embora a evolução da doença pela cidade ainda seja uma realidade, os resultados do Levantamento de Índices por Amostragem – encontrados em cinco bairros – são relativamente animadores. “No todo, o LIA deu resultado de uma redução no índice de infestação. De uma maneira geral o índice de infestação caiu de 9 para 7. Em alguns bairros houve redução significativa, mas houve aumento também”, disse Viviane.


De acordo com o LIA, no bairro Aeroporto o índice caiu de 9,8 para 5,2. No Centro, a infestação reduziu de 7,8 para 6,1; também houve queda no Dom Bosco de 16,4 para 7,1. O índice de infestação predial do mosquito da dengue se manteve estável em 3,8 no Arthur Marinho e subiu de 8,5 para 13,5 no bairro Nossa Senhora de Fátima. Em média a infestação nestes cinco bairros caiu de 9,0 para 7,3.


O LIA difere do Levantamento de Índice Rápido de Infestação de Aedes aegypti (LIRAa) apenas no fato de trabalhar todos os quarteirões do bairro, por amostragem. No caso do LIRAa, as ações são realizadas por quarteirões sorteados. O último LIRAa apontou incidência de 10,4% de infestação predial.


Aprovado pelo Ministério


As equipes da Secretaria de Saúde seguem atuando de forma mais intensa em locais com maiores incidências da doença, inclusive com a borrifação de larvicidas. E essa borrifação já vem sendo alvo de reclamações por parte de uma parcela da população. Muitos dizem que o larvicida lançado no ar tem forte cheiro e causa dor de cabeça.


“Como todo agrotóxico, o nome mesmo já diz, é tóxico. Mas é preconizado pelo Ministério da Saúde e por isso é usado com muito critério. Quem manda esse larvicida é o Ministério da Saúde, ele vem para o Estado que o encaminha para o Município. Não usamos nada que não tenha sido testado e sido aprovado pelo Ministério da Saúde”, afirmou Viviane Ametlla, reforçando a necessidade de utilização do produto nas ações de combate ao mosquito transmissor.


A Secretaria de Saúde de Corumbá foi obrigada a pedir apoio da Guarda Municipal para garantir a segurança dos agentes de endemias. A medida foi tomada porque na tarde de domingo, 22 de abril, um grupo de motociclistas impediu, mediante ameaças, que funcionários do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) fizessem a borrifação do veneno contra o mosquito Aedes aegypti. O problema ocorreu no bairro Popular Velha.


Gincana interbairros começa nesta quarta-feira


Uma gincana interbairros será aberta nesta quarta-feira, 25 de abril. O objetivo é eliminar focos de proliferação do mosquito transmissor da doença. O bairro vencedor deverá receber como prêmio, uma academia de ginástica ao ar livre. “Todos os bairros contarão com pontos de coleta para que os moradores possam entregar o material que possa acumular água, apropriado para proliferação do mosquito”, observou a gerente de Vigilância em Saúde.


Estão programadas sete provas com um total de 200 pontos. A primeira delas será eliminar focos do mosquito nos pontos estratégicos, 30 pontos; segunda, propostas criativas de melhorias para a comunidade, relacionados a diminuição em quantidade dos reservatórios ao nível do solo, 30 pontos; terceira, propostas criativas de melhorias para a comunidade, relacionados aos reservatórios elevados sem tampa, 30 pontos; quarta, elaboração de um desenho que representa a importância da prevenção da dengue para a população corumbaense, 30 pontos; quinta, a unidade básica de saúde do bairro, deverá registrar e cadastrar cinco casas livres de focos da dengue, que sejam de agentes comunitários diferentes (casa com quintal mínimo 24 x 24), 30 pontos; sexta, uma ação de mobilização social com os autores envolvidos (liderança de bairro, liderança religiosa, escola e unidade básica de saúde) focado para a dona de casa, 30 pontos, e a sétima, maior número de limpeza de terrenos baldios e imóveis desocupados e abandonados, com deposição desse resíduo direto no lixão da cidade, 20 pontos.


Contarão pontos também as garrafas pet, pneus de bicicleta, um ponto cada; pneus de moto e latas pequenas, dois pontos; pneus de carro de passeio e latas grandes, cinco pontos; pneus de caminhão, tambor de 50 litros ou mais e tanquinho, 10 pontos; vaso sanitário e bidê, e engradados de bebida, 30 pontos; pneus de trator, caixa d’água e caixa de geladeira, 50 pontos, e outros tipos de materiais, um ponto.

Jornal Midiamax