Geral

Criança desaparecida durante a ditadura é localizada na Argentina

Às vésperas da comemoração do aniversário de 35 anos, o movimento Mães e Avós da Praça de Maio, na Argentina, anunciou a localização de mais uma criança desaparecida no período da ditadura. Ela é chamada de neta 107, filha de Maria de las Mercedes Moreno, capturada pelos militares. A menina é de 11 de outubro […]

Arquivo Publicado em 10/10/2012, às 12h34

None

Às vésperas da comemoração do aniversário de 35 anos, o movimento Mães e Avós da Praça de Maio, na Argentina, anunciou a localização de mais uma criança desaparecida no período da ditadura. Ela é chamada de neta 107, filha de Maria de las Mercedes Moreno, capturada pelos militares.


A menina é de 11 de outubro de 1978 e nasceu em Córdoba, na Maternidade Provincial, enquanto sua mãe estava presa. Na ocasião, a criança foi registrada como filha legítima de uma pessoa ligada ao regime militar. Maria Mercedes Moreno disse que ficou presa até 1979, mas antes teve a filha sequestrada. Ela informou que tentou reencontrar a menina, mas que suas buscas foram em vão.


O processo para localizar a criança desaparecida foi movido por Maria Mercedes Moreno, que enviou cartas e comunicados para autoridades e ativistas políticos em todo o país. Nas mensagens, ela contou que foi sequestrada poucos dias antes de dar à luz, quando estava grávida de sete meses, e levada para um centro de detenção secreto.


Ainda restam 400 netos desaparecidos, segundo o movimento Mães e Avós da Praça de Maio. Em 35 anos, foram localizados 107 netos. Segundo as integrantes do movimento, cada neto localizado é uma inspiração para manter as buscas.


As Mães e Avós da Praça de Maio são mulheres que se reúnem na Praça de Maio, em Buenos Aires, capital da Argentina, exigindo notícias dos filhos e netos desaparecidos durante a ditadura militar (1976-1983). Alguns pais e mães tiveram os filhos retirados de sua guarda e colocados para adoção durante os cinco anos de ditadura.


Às quintas-feiras, as mães e avós promovem manifestações na Praça de Maio, em frente à Casa Rosada, que é a sede do governo.

Jornal Midiamax