Geral

Chávez sinaliza que vai buscar aproximação com a oposição

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, indica que em seu terceiro mandato buscará uma relação menos tensa e mais próxima com a oposição. Ele disse ontem (8) ter conversado de “forma amistosa” com seu principal opositor, Henrique Capriles, que nas eleições de domingo (7) reuniu em seu favor 14 partidos críticos do governo. Por intermédio […]

Arquivo Publicado em 09/10/2012, às 10h06

None

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, indica que em seu terceiro mandato buscará uma relação menos tensa e mais próxima com a oposição. Ele disse ontem (8) ter conversado de “forma amistosa” com seu principal opositor, Henrique Capriles, que nas eleições de domingo (7) reuniu em seu favor 14 partidos críticos do governo. Por intermédio da rede social Twitter, Chávez informou aos venezuelanos sobre a conversa com Capriles.


“Acredite em mim: mantive uma conversa, por telefone, agradável com Henrique Capriles. Convido à Unidade Nacional, respeitando as nossas diferenças”, disse. Também por meio do Twitter, Capriles fez comentários sobre a conversa com Chávez. “Em nome de mais de 6,5 milhões de venezuelanos, fiz um chamado [a Chávez] em favor da unidade do país e ao respeito a todos”, informou.


O coordenador da campanha de Capriles, Armando Briquet, disse que, pela primeira vez, Chávez tratou de forma respeitosa o opositor sem chamá-lo de majunche, que significa falsificado em espanhol. A conversa foi feita pelo telefone celular de Briquet, pois Capriles diz ter medo de ser alvo de escuta telefônica.


Na conversa, segundo Briquet, Capriles desejou a Chávez que sua saúde continue melhorando. Desde o ano passado, o presidente se submete a um tratamento para combater o câncer que surgiu na região pélvica, fez cirurgia e sessões de quimioterapia e radioterapia.


Nas eleições presidenciais de domingo (7), Chávez obteve 55,11% dos votos, com uma diferença de mais de 1,5 milhão de votos em relação a Capriles, que conquistou 44,27%. Os resultados foram divulgados ontem pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE), considerando 96,7% das urnas apuradas.

Jornal Midiamax