Geral

Carlos Drummond de Andrade é homenageado em Lisboa

A Casa Fernando Pessoa homenageou, nesta terça-feira (30), em Lisboa, o poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade, na véspera dos 110 anos de seu nascimento, em um colóquio do qual participaram vários especialistas em sua celebrada obra. O legado de Drummond (1902-1987), considerado o poeta brasileiro mais influente do século XX, foi analisado pela atriz […]

Arquivo Publicado em 31/10/2012, às 00h33

None

A Casa Fernando Pessoa homenageou, nesta terça-feira (30), em Lisboa, o poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade, na véspera dos 110 anos de seu nascimento, em um colóquio do qual participaram vários especialistas em sua celebrada obra.

O legado de Drummond (1902-1987), considerado o poeta brasileiro mais influente do século XX, foi analisado pela atriz brasileira Sura Berditchevsky, a escritora e jornalista portuguesa Leonor Xavier e José Carlos Vasconcelos, diretor da revista Letras, referência literária em Portugal.

A amplitude temática e a variedade formal envolvida de simplicidade do poeta nascido em Itabira (Minas Gerais) foram destacadas por Vasconcelos. O especialista o qualificou como “o maior poeta da língua portuguesa” e constatou sua influência na produção literária lusa, apesar de poucos críticos reconhecerem.

Drummond, criador de um estilo marcado por um cuidado com a escrita, é autor de uma vasta obra poética dividida em três períodos criativos caracterizados primeiro pela ironia, depois pelos temas sociais e por último por assuntos metafísicos.

Admiradora de seus trabalhos, Sura comentou que interpretará, nesta semana no Porto e na seguinte em Lisboa, uma peça que evoca a intensa correspondência entre Drummond e sua filha Maria Julieta. Cartas de Maria Julieta e Carlos Drummond de Andrade, já encenada no Brasil, mostra a afinidade intelectual através da literatura, resumiu a atriz e co-autora do espetáculo.

Já a jornalista Leonor Xavier, antiga correspondente no Rio de Janeiro do português Diário de Notícias, definiu o poeta como “o observador das minúsculas coisas de todos os dias” e como um “mito que cruzava o imaginário do Rio”.

A Casa Fernando Pessoa, concebida como centro cultural destinado a homenagear o ilustre poeta português homônimo, recebe numerosos colóquios, exposições, encontros de escritores e espetáculos musicais e de teatro no bairro de Ourique, o mesmo onde Pessoa viveu seus últimos 15 anos de vida.

Jornal Midiamax