Geral

Candidato a prefeito de Costa Rica é acusado de furto de energia em imóvel

O candidato a prefeito pela coligação “Um Novo Sonho, Uma Nova História”, Waldeli dos Santos Rosa, (PR) é acusado de furto de energia elétrica, (prática conhecida como gato). O técnico de medição da Empresa Enersul (Empresa de Energia Elétrica de Mato Grosso do Sul) constatou no dia 01 de julho de 2009 que o relógio […]

Arquivo Publicado em 14/09/2012, às 15h48

None
170787335.jpg

O candidato a prefeito pela coligação “Um Novo Sonho, Uma Nova História”, Waldeli dos Santos Rosa, (PR) é acusado de furto de energia elétrica, (prática conhecida como gato). O técnico de medição da Empresa Enersul (Empresa de Energia Elétrica de Mato Grosso do Sul) constatou no dia 01 de julho de 2009 que o relógio medidor de energia instalado na Avenida José Ferreira da Costa nº. 485, imóvel de propriedade de Waldeli havia sido violado com o intuito de pagar um valor menor na conta de luz conforme B.O (Boletim de Ocorrência) de nº 885/2009 registrado pelo funcionário da empresa.


O Hora da Notícia apurou que o laudo da pericia técnica numero 88115 tem 22 paginas, foi assinado pelo perito Rubens Gazineu Neto que concluiu que o medidor foi violado e registrava o consumo de energia elétrica a menor do que o real consumo. O laudo está anexado ao processo de nº 0002554-56.2009.8.12.0009 (009.09.002554-5).


Conclusão da pericia técnica: “foi contatado que os fios da fase C os quais forneciam o valor de tensão dessa fase para a placa elétrica valor de tensão da fase C para a placa eletrônica, o funcionamento do equipamento ficou claramente alterado uma vez que o valor da tensão da fase C que houve adulteração no relógio medidor de energia instalado na unidade consumidora nesta fase, portanto o equipamento em questão na época dos exames não estava registrando o consumo de energia elétrica referente à fase C, ou seja, estava registrando a menos a efetiva quantidade de energia elétrica que eventualmente viesse a passar por ele”, concluiu.


O inquérito que apurou o suposto furto foi concluído três anos depois do registro da ocorrência e encaminhado para a justiça, porém o representante do ministério público estadual devolveu para o delegado solicitando diligências no sentido de apurar junto a Enersul o valor supostamente furtado e a quantidade de kilowatt que o autor teria sido beneficiado.


O B.O registrado aponta Waldeli como dono do imóvel, o técnico na época relatou que havia notificado Waldeli da suposta fraude constatada no imóvel. Mesmo com todas as evidencias o processo só é encontrado na pagina do TJMS (Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul) pelo numero uma vez que foi cadastrado como autor a apurar.


A época dos fatos, o ex-prefeito foi ouvido pelo Hora da Notícia, e negou ter conhecimento da suposta fraude. Ele firmou que não havia violado o medidor para diminuir o consumo de energia.

Jornal Midiamax