Geral

Campanha de Obama pede dinheiro para saldar dívida de Hillary Clinton

A campanha para a reeleição do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, solicitou a seus maiores doadores que contribuam para saldar a dívida, ainda considerável, do comitê que coordenou em 2008 as aspirações presidenciais de Hillary Clinton, que foi rival do atual líder nas primárias democratas. A rival de Obama nas primárias de 2008 conta […]

Arquivo Publicado em 28/04/2012, às 02h04

None

A campanha para a reeleição do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, solicitou a seus maiores doadores que contribuam para saldar a dívida, ainda considerável, do comitê que coordenou em 2008 as aspirações presidenciais de Hillary Clinton, que foi rival do atual líder nas primárias democratas.


A rival de Obama nas primárias de 2008 conta ainda com US$ 245 mil em dívida no comitê que organizou sua fracassada campanha presidencial, segundo a Comissão Federal de Eleições (FEC).


No entanto, na qualidade de secretária de Estado, Hillary está proibida de manter atividades políticas ou arrecadar fundos para si própria, por isso a campanha de Obama decidiu estender-lhe a mão.


Segundo o jornal “New York Times”, que cita fontes ligadas à campanha, a decisão foi influenciada pelo marido de Hillary, o ex-presidente Bill Clinton, que concordou em protagonizar uma série de atos de arrecadação de fundos em favor de Obama para as eleições do próximo mês de novembro.


Nos últimos dias, o diretor financeiro da campanha de Obama, Matthew Barzun, e a presidente de finanças do Comitê Democrata Nacional (DNC), Jane W. Stetson, pediram aos doadores do presidente cheques no valor de US$ 2,3 mil, a máxima contribuição permitida em 2008, para acabar com a dívida de Hillary.


“Estamos ajudando a retirar a dívida restante da campanha de Clinton em 2008”, escreveu Barzun em comunicado citado pelo “NYT”.


“Todos nossos aliados democratas estão trabalhando juntos para reeleger o presidente Obama”, acrescentou.


Quando Hillary Clinton decidiu pôr fim às suas aspirações presidenciais em 2008 tinha US$ 20 milhões em dívidas e empréstimos.


Na época, Obama pediu expressamente a seus doadores que ajudassem a abatê-la, mas muitos deles, queimados ainda após a longa e intensa batalha das primárias, se negaram a fazê-lo.


Confiando que essas tensões tenham se suavizado nos últimos quatro anos, o DNC contatou membros do Comitê Nacional de Finanças democrata, formado por 400 pessoas comprometidas a arrecadar, cada uma, US$ 350 mil para a campanha de Obama, a fim de que financiem também a de sua antiga rival.

Jornal Midiamax