Geral

Atlético-MG vacila, cede o empate duas vezes à Ponte Preta e depende do Flu para seguir líder

Após ficar à frente do marcador duas vezes, uma em cada tempo, o Atlético-MG cedeu o empate à Ponte Preta, em 2 a 2, nesta quarta-feira, no Estádio Independência, em sua segunda partida consecutiva sem triunfo. Agora, o alvinegro mineiro depende de um tropeço do Fluminense diante do Corinthians, ainda nesta noite, no Engenhão, para […]

Arquivo Publicado em 30/08/2012, às 00h40

None

Após ficar à frente do marcador duas vezes, uma em cada tempo, o Atlético-MG cedeu o empate à Ponte Preta, em 2 a 2, nesta quarta-feira, no Estádio Independência, em sua segunda partida consecutiva sem triunfo. Agora, o alvinegro mineiro depende de um tropeço do Fluminense diante do Corinthians, ainda nesta noite, no Engenhão, para seguir líder do Brasileiro pela 14ª rodada consecutiva.


O Atlético-MG, que no domingo sofreu o empate do rival Cruzeiro, em 2 a 2, nos acréscimos, voltou a desperdiçar um triunfo e iniciou sua caminhada no returno do Brasileirão com um tropeço em casa, o segundo em toda a competição como mandante. Em 10 jogos nessa situação, foram oito triunfos e dois empates. O alvinegro mineiro soma 44 pontos, dois a mais que o Flumiense, que pode terminar a 20ª rodada com 45.


A equipe paulista, que havia vencido o Cruzeiro, arquirrival atleticano, por 2 a 1, no primeiro turno e que vinha de vitória sobre a Portuguesa, encarou o Atlético-MG desde o começo do jogo e não desistiu em nenhuma das duas vezes em que ficou atrás no marcador. No segundo tempo, em que os dois treinadores ousaram e abriram seus times, a equipe de Campinas teve sua coragem premiada. Com dois gols, Cicinho foi o herói da Ponte Preta.


A Ponte Preta mostrou desde o primeiro tempo que não havia entrado em campo apenas para se defender. Escalada por Gilson Kleina no 3-5-2, mas com dois meias, Ricardinho e Marcinho, a equipe visitante encarou o líder e deu susto, aos 5 min, quando Victor fez boa defesa, saindo aos pés de Rildo, que havia superado o volante Serginho. Na base do contra-ataque, no entanto, o Atlético-MG abriu o marcador, aos 14 min. Danilinho avançou, arriscou, a bola desviou em um zagueiro e enganou Edson Bastos.


A torcida atleticana fez muita festa nas cadeiras e Danilinho, dentro de campo, para comemorar o gol. Em vantagem no placar, o Atlético-MG assumiu o controle do jogo, passando a ter mais posse de bola. Aos 17 min, Ronaldinho Gaúcho cobra falta e obriga Edson Bastos a fazer difícil defesa. O camisa 49 comandava o alvinegro, com toques de classe, habilidade de domínio e passes sob medida para os companheiros.


Aos poucos o ímpeto atleticano foi se reduzindo e a Ponte Preta conseguiu equilibrar novamente as ações, embora sem levar muito perigo para a defesa atleticana. Aos 33 min, o volante Baraka finalizou de longe e Victor fez a defesa em dois tempos. Quatro minutos depois, foi a vez de Ricardinho, em cobrança de falta, fazer o goleiro atleticano trabalhar. O gol da Ponte Preta era questão de tempo e saiu aos 42 min, em jogada de Marcinho, que achou Cicinho livre, para colocar a bola nas redes.


“Tivemos a oportunidade de fazer o segundo gol, sabíamos que a Ponte Preta ia buscar o contra-ataque, infelizmente tivemos um vacilo e levamos o empate”, comentou Danilinho, autor do gol atleticano. Para Cicinho, que empatou a partida, a Ponte Preta terá de superar a “pressão” no segundo tempo. “Não podemos tomar o gol”, ressaltou.


O Atlético-MG voltou com uma modificação ousada do técnico Cuca: o atacante Guilherme no lugar do volante Serginho. E aos 5 min, o camisa 10 iniciou a jogada, que teve cruzamento de Marcos Rocha, da direita, a bola passou pelo atacante Jô, mas não por Guilherme que desempatou a partida. Depois de voltar a ficar em vantagem, a equipe atleticana reduziu novamente o ritmo e recuou de forma perigosa.


Jornal Midiamax