Geral

Associação de exportadores diz que qualidade da carne sul-mato-grossense é a melhor do país

O diretor-executivo da Abiec (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne, Fernando Sampaio, durante o 25° Encontro de Tecnologias para Pecuária de Corte, que acontece no Sindicato Rural de Campo Grande, nesta segunda-feira (16), ressaltou a qualidade da carne em Mato Grosso do Sul. Segundo Sampaio, em termos de qualidade a carne de Mato Grosso […]

Arquivo Publicado em 16/04/2012, às 14h39

None

O diretor-executivo da Abiec (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne, Fernando Sampaio, durante o 25° Encontro de Tecnologias para Pecuária de Corte, que acontece no Sindicato Rural de Campo Grande, nesta segunda-feira (16), ressaltou a qualidade da carne em Mato Grosso do Sul.


Segundo Sampaio, em termos de qualidade a carne de Mato Grosso do Sul é a melhor do país. Ele explicou que a vantagem da carne de MS em relação a outros estados se deve a castração feita nos animais. O que, de acordo com ele, deixa o produto daqui muito superior aos demais.


Sampaio ainda apontou que as exportações de carne brasileira tiveram um bom resultado no primeiro trimestre deste ano, e lembrou que os números só não foram melhores por causa das vendas para o Irã que baixaram drasticamente.


O país, inclusive, desde 2010 passou a ser o principal comprador da carne bovina sul-mato-grossense. Nos últimos meses, o Irã reduziu sucessivamente suas importações e em fevereiro ele sequer foi às compras – fruto dos embargos econômicos sofridos, principalmente por parte dos Estados Unidos, segundo estudo da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul).


Os embargos atingiram os bancos, o que dificultou as operações comerciais, como a compra de carnes. E isto impactou de forma decisiva no mercado local. Em fevereiro, por exemplo, as exportações de carne bovina in natura de MS recuaram 13,6% em peso líquido. Foram embarcadas no mês 6,4 mil toneladas, equivalentes a receita de US$ 32,3 milhões.


Outro fator, que contribuiu para a diminuição das vendas brasileiras, foi a taxa cambial. Com a moeda desvalorizada, os EUA saíram na frente e ultrapassaram o Brasil em número de vendas externas de carne bovina. A produção americana também ultrapassou a brasileira, no ano passado eles produziram 11,946 milhões de toneladas enquanto o Brasil produziu 9,771 milhões.

Jornal Midiamax